O Misty Fest abre esta terça-feira em Lisboa, com a atuação do ‘cantautor’ britânico Piers Faccini e a perspetiva de esta sétima edição apresentar “números que vão superar as edições anteriores”, segundo fonte da organização.

A partir de hoje e até dia 12 de novembro, em dez municípios portugueses, apresentar-se-ão 21 projetos artísticos “de diferentes mundos sonoros”.

A produtora Uguru, que organiza o festival, destaca da programação “o novo projeto ‘indie-pop’ de Rodrigo Leão & Scott Matthew, Wim Mertens, com o novo álbum clássico-pop, José James e Enrico Rava, representantes do novo jazz, o consagrado Hindi Zahra e ainda o argentino Melingo”, dando a Piers Faccini “as honras de abertura”.

Carmen Souza & Theo Pascal Trio, Dom la Nena e De Viva Voz são outros nomes do cartaz do Festival que marca presença em Loulé, Leiria, Torres Novas, Ponta Delgada e Évora, pela primeira vez, enquanto Lisboa, Porto, Braga e Coimbra são cidades às quais regressa.

A partir de hoje, 15 salas estão “prontas a receber, com as exigências de qualidade sonora e conforto”, apresentando cada espetáculo “a tempo e horas”.

Este ano, o Misty Fest projeta alcançar os “cerca de 32.000 espetadores” e, pela primeira vez, disponibiliza sete passes distintos para as cidades de Lisboa e Porto.

Os números anteriores apontam para um total de 34 espetáculos, durante duas semanas.