Os acionistas do BCP aprovaram esta quarta-feira a continuação nos estatutos do banco da regra que impõe limites aos direitos de voto, em assembleia-geral, mas ainda não deliberaram sobre se esse limite se mantém nos 20% ou se é aumentado para 30%.

De acordo com fonte oficial, o ponto um da ordem de trabalhos da reunião magna foi aprovado pela quase totalidade dos acionistas.

O capital social representado nesta assembleia-geral é de 35%.

Quanto ao ponto dois, em que os acionistas deveriam pronunciar-se sobre se os limites de voto se mantêm nos atuais 20% (o que faz com que qualquer acionista esteja atualmente impedido de votar com mais do que esta percentagem, independentemente da participação que detenha no banco) ou se são alterados para 30%, a votação foi adiada para nova assembleia-geral de acionistas a realizar a 21 de novembro.