Mundo

Buzz Aldrin retirado de emergência do Polo Sul

Buzz Aldrin foi o segundo homem a pisar a lua, em 1969. Hoje em dia nem a idade já avançada, 86 anos, o faz parar de explorar, a não ser um problema repentino de saúde... foi mesmo isso que aconteceu.

Buzz Aldrin, de 86 anos, conhecido por integrar a missão Apollo 11, teve de ser retirado de emergência do Polo Sul

Getty Images

Buzz Aldrin ficou conhecido em 1969 quando pisou pela primeira vez a lua com Neil Armstrong e Michael Collins. Desde esse grande passo para a humanidade, como foi apelidada a viagem à lua, Aldrin não mais parou de explorar o mundo da astrofísica e da ciência, até que o teve de fazer abruptamente. O astronauta teve de ser resgatado do Polo Sul devido a líquido nos pulmões.

Ap11-s69-31740

Aldrin (à direita) juntamente com Armstrong (à esquerda) e Collins (ao centro) em 1969 aquando da missão Apollo 11, que levou primeiros homens à lua.

Nem a sua idade já avançada – Aldrin já conta 86 anos – o fazem parar de explorar. O astronauta, estava no Polo Sul, juntamente com uma comitiva de turistas, quando o seu estado de saúde se agravou. Com líquido nos pulmões e a necessitar de intervenção médica urgente, a National Science Foundation disponibilizou um “voo de evacuação médica humanitária” para o Buzz Aldrin.

Segundo o Business Insider, uma vez retirado de emergência do Polo Sul, Aldrin foi internado no hospital de Christchurch, na Nova Zelândia. No site oficial do astronauta foi colocado um comunicado onde se afirmava que o voo tinha aterrado com sucesso e que “atualmente está a responder bem aos antibióticos”. O astronauta teve de permanecer no hospital durante a noite para observação, mas o quadro clínico era estável e estava bem humorado, segundo o seu empresário, evidente na fotografia publicada na sua conta pessoal no Twitter, em que o astronauta aparece sorridente na cama do hospital.

No mesmo comunicado, Buzz Aldrin deixa “sinceros agradecimentos à equipa da American National Science Foundation” por disponibilizar um voo tão rapidamente.

A White Desert, instituição responsável pela expedição de Buzz Aldrin e restante comitiva ao Polo Sul, publicou também um comunicado onde explicou a situação.

“O cliente da White Desert, Buzz Aldrin, foi retirado do Polo Sul”, começa por afirmar o comunicado. “Por precaução, após discutir o assunto entre o médico da White Desert e o médico do Programa Antártico dos Estados Unidos (USAP), o senhor Aldrin, juntamente com um membro da sua equipa, foi retirado no primeiro voo disponível.”

Buzz Aldrin publicou ainda no seu Twitter o início desta viagem. Nos twetts aparece sorridente ao lado da comitiva que o acompanhou e do avião que os levou até ao Polo Sul.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Mundo

O poder mobilizador da rejeição /premium

Diana Soller

Um discurso negativo, de rejeição de alguma coisa, independentemente de ser factual ou inventado, tem muito mais impacto junto das populações que um discurso positivo, construtivo ou inclusivo.

Mundo

Delitos de Opinião

António Cruz Gomes

Parece chegado o momento premente dos “Políticos” de cada País determinarem o que deve mudar para salvação do Mundo e preservação da nossa descendência.

Moçambique

A extradição de Chang e o futuro da Frelimo

Manuel Matola

Apesar da complexidade do caso e da gravidade das acusações contra Manuel Chang, uma eventual extradição para Moçambique garantiria de que o processo-crime que corre em Maputo teria uma morte natural.

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)