Um juiz ordenou uma recontagem à mão dos votos das eleições presidenciais norte-americanas no estado do Michigan a partir das 12h00 desta segunda-feira (17h00 em Lisboa), a pedido do Partido Verde.nA candidata do Partido Verde, Jill Stein, está a tentar forçar a recontagem em três estados (Michigan, Pensilvânia e Wisconsin).

Atualmente, os votos nas presidenciais do mês passado, ganhas pelo candidato do Partido Republicano, Donald Trump, estão a ser contados no Wisconsin. No Nevada, uma recontagem parcial foi pedida pelo candidato independente Roque De La Fuente.

O juiz Mark Goldsmith divulgou a sua decisão esta segunda-feira, rejeitando um pedido para que se esperassem dois dias úteis para começar a contagem à mão de cerca de 4,8 milhões de boletins de voto no Michigan. A decisão aumenta as probabilidades de o estado completar a recontagem antes do prazo fixado, 13 de dezembro.

Jill Stein sugeriu que Donald Trump e os seus apoiantes poderiam tentar atrasar as recontagens para dificultar ou impossibilitar o cumprimento do prazo de dia 13 para os estados certificarem os seus resultados eleitorais ou procurar ter os votos decididos pelo Congresso, que é controlado pelos republicanos.

As autoridades responsáveis pelas eleições nos três estados (Michigan, Wisconsin e Pensilvânia) exprimiram confiança nos resultados apurados inicialmente. Nestes três estados, Donald Trump ganhou por uma escassa margem.

Não é expectável que as recontagens resultem numa alteração suficiente de votos que mude o resultado em qualquer um dos estados.