A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) entrega, esta quarta-feira, na Assembleia da República (AR) uma petição com mais de 10 mil assinaturas em defesa de um novo quadro legal que previna riscos na saúde e segurança no trabalho. O âmbito da petição, que será entregue pelas 14h ao vice-presidente da AR Luís Fazenda, integra também “a compensação pelo risco que a profissão de polícia acarreta”, segundo um comunicado enviado pela associação.

“A ASPP/PSP considera que é mais uma oportunidade para que o Parlamento faça justiça aos homens e mulheres da Polícia de Segurança Pública, que tantas vezes são elogiados por membros deste e de outros governos, sem que os seus esforços sejam devidamente reconhecidos”, lê-se no comunicado da associação da polícia. A ASPP/PSP espera que 2017 possa “marcar um ponto de viragem em que se passará das palavras aos atos”.

Segundo a ASPP, em 2015, dois polícias morreram em serviço e 302 foram vítimas de acidentes, três dos quais resultaram em incapacidade permanente absoluta e 116 ficaram com incapacidade permanente parcial. Segundo este sindicato da PSP, mais de 600 polícias foram agredidos e vários agentes foram alvo de tentativa de homicídio este ano.