Duas espanholas foram detidas esta quarta-feira, na Turquia, quando tentavam regressar à Europa vindas da Síria com os filhos. As mulheres são suspeitas de estarem ligadas ao Estado Islâmico, uma vez que são as viúvas de conhecidos jihadistas.

Fatima Akil Laghmich e Asia Ahmed Mohamed, de 21 e 26 anos respetivamente, partiram para a Síria em 2014 na companhia dos maridos — dois conhecidos jihadistas alegadamente responsáveis por dezenas de assassinatos. O Ministério do Interior espanhol, equivalente ao Ministério da Administração Interna, considera que Fatima e Asia são membros “extraordinariamente valiosos para a organização terrorista, especialmente no ambiente espanhol e marroquino”, refere uma fonte oficial daquele ministério citada pelo El Mundo.

Os maridos de Fatima e Asia terão morrido ao serviço do Estado Islâmico, sendo que Mohamed Hamduch (o marido de Asia) terá morrido em combate em Alepo, na Síria. De acordo com o El Mundo, Mohamed terá até oferecido a Asia um cinto de explosivos como prenda de casamento e aparecerá em fotos junto de cabeças decapitadas publicadas por aquele jornal espanhol.

A Guardia Civil espanhola já tinha emitido uma Ordem Internacional de Detenção contra as duas mulheres.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Duas outras pessoas foram presas, em Madrid, por estarem ligadas ao extremismo islâmico encontrando-se na posse de armas de fogo e munições.

O alerta antiterrorista em Espanha mantém-se no nível quatro (risco alto) e as Fuerzas y Cuerpos de Seguridad já prenderam, desde 2015, cerca de 177 terroristas jihadistas.