A Amnistia Internacional desafia todos a enviar uma mensagem ao presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, a pedir um tratamento digno para os refugiados que estão a gelar nas ilhas gregas.

Em causa está a vaga de frio polar que ameaça a Europa e as condições precárias dos campos de refugiados, nas ilhas gregas, que se encontram sobrelotados. Os refugiados dormem em tendas cobertas de neve, a temperaturas abaixo de zero, correndo o risco de morrer congelados. “Que espécie de sociedade trata as pessoas assim?”, questiona a Amnistia.

A Amnistia Internacional quer que a Comissão Europeia coloque “as vidas [dos refugiados] em primeiro lugar”, considerando-os reféns de políticas europeias disfuncionais. Na carta — assinada e enviada através do site da Amnistia — pede-se a Jean-Claude Juncker urgência na transferência dos refugiados para a principal ilha grega e para outros países da Europa, o seu registo e uma “receção” adequada.

Este não é o tratamento que eles deviam esperar de uma sociedade cujos valores fundadores incluem liberdade, democracia e respeito pelos direitos humanos” assegura a Amnistia Internacional acerca do frio a que os refugiados estão sujeitos.

As fotografias acima mostram as condições precárias em que vivem centenas de refugiados, numa altura em que uma vaga de frio atravessa a Europa.