O antigo presidente da Federação de Futebol de El Salvador Reynaldo Vásquez, cuja extradição foi pedida pelos Estados Unidos no âmbito do escândalo de corrupção na FIFA, foi condenado esta terça-feira a oito anos de prisão em El Salvador. Reynaldo Vásquez, que liderou o futebol salvadorenho entre junho de 2009 e julho de 2010, foi condenado por desvio de contribuições para a segurança social, no valor de cerca de 400 mil dólares (377.926 euros). O antigo presidente da Federação de Futebol de El Salvador é também acusado pelas autoridades judiciais norte-americanas de associação criminosa, fraude e branqueamento de capitais.

Reynaldo Vásquez foi preso em dezembro de 2015 e o seu pedido de extradição para os Estados Unidos foi aceite pela justiça de El Salvador, mas primeiro teria de enfrentar a justiça no seu país pelos crimes cometidos em El Salvador. “A possibilidade permanece aberta para o extraditar, de acordo com os procedimentos estabelecidos”, disse a Justiça salvadorenha em comunicado.

Em causa estão verbas avultadas transferidas da empresa Media World pelo ex-presidente da Fesfut, a troco da concessão dos direitos sobre os jogos da seleção de El Salvador na qualificação para o Mundial do Brasil de 2014.

A FIFA foi abalada por um escândalo de corrupção em maio, a dois dias da reeleição de Joseph Blatter como presidente do organismo máximo do futebol mundial, num processo aberto pela justiça dos Estados Unidos e que levou à acusação de 14 dirigentes e ex-dirigentes.