O número de meninas mortas num incêndio num orfanato na Guatemala quando protestavam contra alegados abusos sexuais e físicos, aumentou para 40, informou esta segunda-feira o Hospital Roosevelt. Dezanove das adolescentes perderam a vida no local na quarta-feira e outras 21 morreram entretanto em hospitais.

O fogo começou quando um colchão foi incendiado durante um protesto de residentes do abrigo para jovens, que estava sobrelotado.

Uma vítima, Ana Roselia Perez Junay, de 14 anos, foi enterrada no domingo, com as autoridades ainda à procura de respostas para o desastre, que veio evidenciar as falhas do sistema de proteção de menores da Guatemala.

A porta-voz do procurador, Julia Barrera, disse que o chefe da agência de proteção recebeu ordens para não deixar o país enquanto decorrer a investigação.

Quatro das jovens, vítimas de queimaduras, foram transportadas para Shriners Hospital for Children em Galveston, no Texas, Estados Unidos.