A Câmara de Senadores da Bolívia, pediu ao presidente daquele organismo que ordene a retirada do embaixador boliviano na Venezuela, Luís Trigo, em protesto pela decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) venezuelano de despojar o parlamento das suas funções.

“Na nossa condição de senadores eleitos democraticamente, temos por bem solicitar a sua intermediação para que o Presidente do Estado Boliviano [Evo Morales] ordene a retirada imediata do nosso embaixador na Venezuela,por todas as vezes que naquele país se violou a ordem democrática, pois uma decisão do STJ despojou a Assembleia Nacional das suas atribuições constitucionalmente reconhecidas”, afirma.

O Presidente da Bolívia, Evo Morales, é um político manifestamente afeto ao Governo do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

O pedido, feito ao presidente da Câmara de Senadores da Bolívia, José Alberto Gonzalez Samaniego, explica que a decisão do STJ é “um atentado contra a democracia” que “não passou despercebido pela comunidade internacional, pois diversos Estados latino-americanos têm manifestado a sua condenação deste ato com matizes ditatoriais”.

“Senhor presidente acreditamos que um país como o nosso, que professa os valores democráticos e que os reconhece constitucionalmente, não pode ficar indiferente perante esta situação. É por isso que solicitamos a retirada imediata dos nossos representantes diplomáticos da República da Venezuela, como sinal de condenação perante este facto antidemocrático”, conclui.