Xiongan era, até agora, uma área anónima da China. Mas do anonimato rapidamente se fez famosa, quando Pequim revelou os seus planos em lá construir toda uma nova cidade. Uma nova cidade três vezes maior do que a de Nova Iorque. Num instante, a zona foi invadida por investidores e compradores interessados no projeto, conta o The Guardian.

O objetivo de construir toda esta nova área, em Xiongan, é o de reduzir a poluição em Pequim e diminuir o congestionamento da grande capital. O plano, denominado de ‘a nova área de Xiongan’, pretende cobrir um terreno três vezes maior do que Nova Iorque e está já envolvido numa grande onda de propaganda do Governo Comunista.

Foi no sábado que os principais líderes do Partido Comunista chinês anunciaram o projeto. Aliás, o anúncio foi feito numa declaração conjunta entre os dois órgãos políticos mais poderosos do país: o comité central e o conselho de estado. A declaração descreveu o projeto como sendo uma cidade totalmente nova, que se irá estender por três municípios e que se situará a 100 quilómetros a sudoeste de Pequim. Segundo o que foi descrito, está imcluída numa “estratégia crucial para o milénio” e trata-se de um “projeto histórico”.

Segundo a agência oficial de notícias Xinhua, a criação deste projeto em Xiongan irá reduzir a pressão populacional na capital em cerca de 22 milhões de moradores. Para além disso, “inaugurará um novo capítulo na história e na transição do país, numa ótica de crescimento coordenado, inclusivo e sustentável”.

Twitter: Área de construção do projeto

Pouco tempo depois do anúncio, compradores e investidores não perderam tempo em correr para o local e tentar encontrar casas que, mais tarde, lhes venham a trazer lucro com o desenvolvimento do projeto. Segundo os media locais, o valor dos imóveis passou quase para o dobro desde o anúncio. Houve até quem afirmasse que nem conseguiu dormir após a excitação da novidade. A Bloomberg relatou também que o entusiasmo foi tão grande que as estradas que dão acesso à área ficaram completamente congestionadas e os hotéis cheios de “novos convidados”. Nas redes sociais o frenesim foi tanto que foi criado um site de controlo aos comentários.

Twitter: Área de construção do projeto