– O Governo de Portugal e de Timor-Leste assinaramesta terça-feira, em Lisboa, um protocolo de cooperação para a salvaguarda e divulgação de património arquivístico comum, de acordo com o Ministério da Cultura.

O documento assinado, ao qual a Lusa teve acesso, referiu que o Arquivo Nacional de Timor-Leste e o Arquivo Nacional da Torre do Tombo da República Portuguesa são detentores de património documental cujos “conteúdos podem contribuir para estimular a permuta de informação contidas nos acervos arquivísticos de interesse comum, os quais constituem parte integrante da memória coletiva e individual de ambos os países”.

O protocolo de cooperação foi assinado pelo ministro da Cultura de Portugal, Luís Filipe Castro Mendes, e pelo ministro da Administração Estatal da República de Timor-Leste, Dionísio Babo Soares, tendo a cerimónia ocorrido no Arquivo Nacional da Torre do Tombo.

O memorando tem como um dos seus objetivos a transferência de conhecimento e de formação na área arquivística entre os dois países.

O documento também pretende permitir a cooperação para a digitalização de documentos relacionados com a história comum entre os dois países e também em outras áreas acordadas entre os dois países.

Os dois países incentivarão a promoção de todas as medidas para o diagnóstico de necessidades, organização e a inventariação de fundos documentais, bem como o desenvolvimento e intercâmbio de pesquisa documental sob a guarda de ambos os Estados, designadamente, os que respeitam ao património arquivístico comum.

As entidades responsáveis designadas darão continuidade ao processo de digitalização dos respetivos fundos documentais, designadamente, daqueles que respeitam à sua história comum, segundo o documento.

Os dois países poderão fomentar, referiu o protocolo, ações de divulgação tais como colóquios, exposições, concursos monográficos e demais eventos julgados de interesse, a terem lugar em Timor-Leste e em Portugal.

Portugal e Timor-Leste promoverão também projetos comuns destinados à realização de candidaturas a financiamentos externos.

Os dois países decidiram incentivar as universidades e centros de investigação a criarem ou fortalecerem linhas de pesquisa sobre a sua história comum, além de incrementar o intercâmbio de especialistas na área dos arquivos.

A execução do protocolo de cooperação ficará a cargo da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) de Portugal e da Direção Geral do Arquivo Nacional de Timor-Leste.

Este protocolo de cooperação pretende prosseguir com os objetivos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) no que se refere à recuperação do acervo histórico dos Estados-membros do bloco lusófono e a criação de mecanismos que facilitem a reprodução deste património comum.