Barack Obama

Obama está de regresso e tem encontro marcado na Universidade de Chicago

É o primeiro discurso público do ex-presidente dos EUA desde que saiu da Casa Branca e após três meses de férias. O encontro com os jovens na universidade será transmitido online.

Barack Obama esteve três meses de férias com a mulher

Barack Obama está de regresso. Não só à vida pública, mas também à cidade onde viveu e à universidade onde deu aulas. O antigo presidente dos EUA tem um encontro marcado esta segunda-feira com jovens na Universidade de Chicago para falar sobre “participação cívica” e “organização comunitária”, adianta o Chicago Tribune.

Este será o primeiro discurso público do 44.º presidente norte-americano desde que saiu da Casa Branca, em janeiro deste ano, para ceder o seu lugar a Donald Trump — evento que acontece a pouco dias do atual presidente dos EUA cumprir os primeiros 100 dias no cargo. Até agora, Obama praticamente não se pronunciou sobre as decisões do seu sucessor — à exceção da declaração a propósito do sétimo aniversário do Affordable Care Act — e não se sabe ao certo se irá aproveitar para tecer comentários sobre o atual presidente dos EUA — fonte próxima de Obama adiantou que à CNN que ele não pretende referir-se às políticas de Trump.

“Este evento faz parte do objetivo pós-presidência de Obama. Encorajar e dar apoio à próxima geração de líderes movidos pela vontade de dar força às comunidades no país e no mundo”, refere Kevin Lewis, porta-voz do ex-presidente. O encontro de hoje, que tem início às 11h locais, será transmitido online. Espera-se uma plateia com cerca de 300 pessoas.

O ex-presidente já esteve ontem com jovens e homens em risco da organização Chicago Create Real Economic Destiny, a convite de Arne Duncan, antigo secretário de Estado da Educação. O programa, criado por Duncan, procura qualificar estes jovens e homens e arranjar-lhes oportunidades de emprego.

As férias de luxo dos Obama

Barack Obama ainda ocupava o cargo de presidente dos Estados Unidos quando anunciou que iria tirar umas férias com a mulher assim que abandonasse a Casa Branca. Foram três meses de descanso, em que o casal passou por vários destinos luxuosos e paradisíacos.

A primeira paragem, conta o El Español, foi em Palm Springs, em casa do ex-embaixador dos EUA em Espanha, James Costos, e do marido, o designer de interiores Michael S. Smith — amigos de longa data do casal. Foi Smith quem fez a decoração da Casa Branca quando os Obama se mudaram para lá em 2009 e irá fazer o mesmo na quinta que o casal comprou também na Califórnia.

Daí partiram para as Ilhas Virgens Britânicas, mais concretamente para a propriedade do milionário Richard Branson. Nessa altura, circularam várias imagens do ex-presidente dos EUA na fazer kitesurf — impossível esquecer a imagem de Barack Obama, com um sorriso de orelha a orelha, no barco de Branson.

Barack Obama ainda deu um salto a Nova Iorque antes de seguir para a Polinésia Francesa. O ex-presidente foi ‘apanhado’ a ir a um Starbucks na Quinta Avenida e centenas de pessoas pararam à porta do café para vê-lo.

Tahití, Bora Bora, Tahaa, Moorea, Vanilla Island e Teriatoa foram os vários sítios por onde estiveram os Obama. O transporte pelas várias ilhas foi feito no iate de 138 metros do empresário David Geffen — mais uma mítica fotografia de férias: Barack a tirar uma fotografia à mulher, com um iPad. Oprah Winfrey, Bruce Springsteen e Tom Hanks foram algumas das caras conhecidas a estarem com os Obama no iate.

Os Obama estiveram ainda instalados no resort ecológico The Brando (em Teriatoa) — comprado nos anos 60 pelo ator norte-americano Marlon Brando –, cujo preço por noite pode rondar os três mil euros. Durante estas férias, foi ainda anunciado que a Penguin Random House comprou por 60 milhões de euros os direitos de autor, a nível mundial, dos livros de memórias de Barack Obama e Michelle Obama.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)