Rádio Observador

Barack Obama

Obama está de regresso e tem encontro marcado na Universidade de Chicago

É o primeiro discurso público do ex-presidente dos EUA desde que saiu da Casa Branca e após três meses de férias. O encontro com os jovens na universidade será transmitido online.

Barack Obama esteve três meses de férias com a mulher

Barack Obama está de regresso. Não só à vida pública, mas também à cidade onde viveu e à universidade onde deu aulas. O antigo presidente dos EUA tem um encontro marcado esta segunda-feira com jovens na Universidade de Chicago para falar sobre “participação cívica” e “organização comunitária”, adianta o Chicago Tribune.

Este será o primeiro discurso público do 44.º presidente norte-americano desde que saiu da Casa Branca, em janeiro deste ano, para ceder o seu lugar a Donald Trump — evento que acontece a pouco dias do atual presidente dos EUA cumprir os primeiros 100 dias no cargo. Até agora, Obama praticamente não se pronunciou sobre as decisões do seu sucessor — à exceção da declaração a propósito do sétimo aniversário do Affordable Care Act — e não se sabe ao certo se irá aproveitar para tecer comentários sobre o atual presidente dos EUA — fonte próxima de Obama adiantou que à CNN que ele não pretende referir-se às políticas de Trump.

“Este evento faz parte do objetivo pós-presidência de Obama. Encorajar e dar apoio à próxima geração de líderes movidos pela vontade de dar força às comunidades no país e no mundo”, refere Kevin Lewis, porta-voz do ex-presidente. O encontro de hoje, que tem início às 11h locais, será transmitido online. Espera-se uma plateia com cerca de 300 pessoas.

O ex-presidente já esteve ontem com jovens e homens em risco da organização Chicago Create Real Economic Destiny, a convite de Arne Duncan, antigo secretário de Estado da Educação. O programa, criado por Duncan, procura qualificar estes jovens e homens e arranjar-lhes oportunidades de emprego.

As férias de luxo dos Obama

Barack Obama ainda ocupava o cargo de presidente dos Estados Unidos quando anunciou que iria tirar umas férias com a mulher assim que abandonasse a Casa Branca. Foram três meses de descanso, em que o casal passou por vários destinos luxuosos e paradisíacos.

A primeira paragem, conta o El Español, foi em Palm Springs, em casa do ex-embaixador dos EUA em Espanha, James Costos, e do marido, o designer de interiores Michael S. Smith — amigos de longa data do casal. Foi Smith quem fez a decoração da Casa Branca quando os Obama se mudaram para lá em 2009 e irá fazer o mesmo na quinta que o casal comprou também na Califórnia.

Daí partiram para as Ilhas Virgens Britânicas, mais concretamente para a propriedade do milionário Richard Branson. Nessa altura, circularam várias imagens do ex-presidente dos EUA na fazer kitesurf — impossível esquecer a imagem de Barack Obama, com um sorriso de orelha a orelha, no barco de Branson.

Barack Obama ainda deu um salto a Nova Iorque antes de seguir para a Polinésia Francesa. O ex-presidente foi ‘apanhado’ a ir a um Starbucks na Quinta Avenida e centenas de pessoas pararam à porta do café para vê-lo.

Tahití, Bora Bora, Tahaa, Moorea, Vanilla Island e Teriatoa foram os vários sítios por onde estiveram os Obama. O transporte pelas várias ilhas foi feito no iate de 138 metros do empresário David Geffen — mais uma mítica fotografia de férias: Barack a tirar uma fotografia à mulher, com um iPad. Oprah Winfrey, Bruce Springsteen e Tom Hanks foram algumas das caras conhecidas a estarem com os Obama no iate.

Os Obama estiveram ainda instalados no resort ecológico The Brando (em Teriatoa) — comprado nos anos 60 pelo ator norte-americano Marlon Brando –, cujo preço por noite pode rondar os três mil euros. Durante estas férias, foi ainda anunciado que a Penguin Random House comprou por 60 milhões de euros os direitos de autor, a nível mundial, dos livros de memórias de Barack Obama e Michelle Obama.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)