O Ministério da Saúde (e por sua vez os hospitais e os centros de saúde) está sem acesso ao e-mail desde a passada sexta-feira, às 20h00, como medida de precaução para evitar um eventual ataque informático. A informação foi divulgada no domingo pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS). Ao Observador, fonte oficial da SPMS garante que a medida não está a comprometer o normal atendimento.

“Os sistemas de informação estão a funcionar naturalmente. O normal atendimento está todo a acontecer”, garantiu ao Observador, fonte oficial da SPMS, explicando que “a única coisa que os profissionais de saúde estão impedidos de fazer é de aceder ao e-mail. Todas as demais ferramentas funcionam”.

E até ao momento “não há qualquer registo de incidentes no Ministério da Saúde”, acrescentou a mesma fonte, rematando que o Ministério da Saúde está alinhado com o centro nacional para a cibersegurança e com a agência europeia para a segurança, numa constante análise de risco e impacto.

Ainda não é possível saber quando é que o acesso ao e-mail será restabelecido. A avaliação está a ser feita a cada 24 horas. Até que isso aconteça, os contactos, avisa a SPMS, devem ser feitos por telefone, ofícios ou faxes.

O ataque (ramsonware) de sexta-feira afetou sobretudo a Rússia, Ucrânia e Taiwan, mas também há registo de milhares de computadores afetados em Espanha, Portugal, EUA, Reino Unido, China, Itália, França e Vietname, entre outros. Ao todo, o vírus WannaCry espalhou-se por mais de 200 mil computadores de várias empresas, em 150 países.

Acabou por ser travado por um jovem de 22 anos e pela módica quantia de dez euros. Segundo o The Guardian, o feito foi protagonizado pelo Malware Tech, com a ajuda de Darien Huss, da empresa de segurança Proofpoint. Foram eles que detetaram que o ransomware estava ligado a um endereço web com um nome demasiado longo e “non-sense” que não estava registado. O que aquele jovem fez foi registar esse domínio, o que lhe custou pouco mais de 10 euros. De acordo com o The Telegraph, o jovem de 22 anos será Marcus Hutchins.

Entretanto este domingo foi deixado o aviso de que o vírus WannaCry poderia voltar segunda-feira, com uma segunda versão melhorada, quando os funcionários voltassem ao trabalho e ligassem os computadores. E a previsão parece estar certa. Na China já foi confirmado o ataque a mais de 29 mil instituições.