Os EUA asseguram ter identificado o que dizem ser as “preparações” para um novo ataque químico liderado por Bashar al-Assad contra o povo sírio. Num comunicado divulgado esta segunda-feira pelo porta-voz Sean Spicer, a Casa Branca garante que “as atividades são semelhantes às preparações que o regime fez antes do ataque com armas químicas de 4 de abril”, que resultou na morte de vários civis, incluindo crianças.

Em abril deste ano morreram 72 pessoas, incluindo 20 menores, e dezenas ficaram feridas num ataque aéreo que envolveu gás tóxico na cidade de Khan Cheikboun, no noroeste da Síria. À data, o gás tóxico foi lançado por aviões que não estavam identificados — foi o pior ataque químico dos últimos anos no país.

Os momentos de terror do ataque na Síria

Na iminência de um segundo ataque, os Estados Unidos, que dizem estar naquele país para “eliminar o Estado Islâmico no Iraque e na Síria”, prometem agir: “Se, no entanto, Assad conduzir outro assassinato em massa com recurso a armas químicas, ele e o seu exército vão pagar um preço elevado”, lê-se no comunicado já citado.