Investigadores de segurança informática podem ter descoberto a “vacina” para o ciberataque que aconteceu esta terça-feira, que afetou vários países e fez mais de dois mil ataques por todo o mundo.

NotPetya. Novo vírus informático fez mais de 2 mil ataques em todo o mundo

É certo que o vírus se espalha rapidamente por um computador que esteja vulnerável. Mas a “solução” pode estar à distância de um ficheiro de leitura colocado no disco do computador.

A descoberta veio do Bleeping Computer, um site de notícias de segurança, que até dá o tutorial passo a passo de como criar esse ficheiro. Assim, basta criar um ficheiro de leitura com o nome “perfc” no diretório principal do disco – geralmente designado no Windows por (C:) – e o vírus pode parar de operar no computador onde este ficheiro for inserido. Mas atenção: os peritos asseguram que esta solução não anula completamente a pirataria, nem a impede de se espalhar por outros computadores vulneráveis.

Além disso, uma atualização da versão do sistema operativo pode ser suficiente para prevenir o ataque para a maioria do utilizadores infetados.

Os peritos da segurança informática acreditam também que este vírus se espalha mais lentamente do que o do WannaCry, de maio passado, porque não se espalhou além da rede onde foi colocado. Por essa razão, acreditam que o ataque não tenha mais repercussões do que aquelas que teve esta terça-feira.

PT Portugal alvo de ataque informático internacional

O vírus atacou várias organizações mundiais e países como a Rússia, a Ucrânia, o Reino Unido e os EUA.