A polícia de Hong Kong libertou esta sexta-feira os ativistas que foram detidos na quarta-feira, incluindo Joshua Wong, um dos rostos do movimento pró-democracia que ocupou as ruas da antiga colónia britânica em 2014.

Joshua Wong foi libertado durante a madrugada, confirmou o próprio, numa mensagem de texto enviada à agência noticiosa espanhola Efe. Os outros ativistas, entre os quais Nathan Law, outro líder estudantil dos protestos pró-democracia de 2014, eleito deputado em setembro e que faz parte do partido a que pertence Joshua Wong, o Demosisto, tinham sido libertados horas antes.

Vinte e seis pessoas foram detidas na quarta-feira depois de protagonizarem uma concentração junto à emblemática escultura da flor de bauhinia, um presente de Pequim, em 1997, aquando da transferência de Hong Kong do Reino Unido para a China.

Os manifestantes, sobretudo jovens, exigiam maiores liberdades em Hong Kong, além da libertação do Nobel da Paz chinês Liu Xiaobo, a quem foi concedida, esta semana, liberdade condicional para receber tratamento hospitalar devido a um cancro no fígado em fase terminal recentemente diagnosticado.

A concentração teve lugar na véspera da chegada do Presidente chinês, Xi Jinping, a Hong Kong para as celebrações do 20.º aniversário do estabelecimento da Região Administrativa Especial e a tomada de posse da chefe do Executivo eleita, Carrie Lam.