O dissidente chinês Liu Xiaobo está “num estado crítico”, anunciou esta segunda-feira o hospital onde o prémio Nobel da Paz 2010 deu entrada após ter saído da prisão devido a um cancro do fígado.

“A equipa nacional de especialistas pensa que o paciente está num estado crítico”, indicou num comunicado o hospital universitário nº1 de Shenyang (nordeste), declarando-se pronto a transferir o defensor dos direitos humanos para os cuidados intensivos caso seja necessário.

Segundo o hospital, os últimos exames revelam que o tumor de Liu Xiaobo cresceu e que ele regista uma descida da pressão arterial e insuficiência renal.

Várias organizações de defesa dos direitos humanos e próximos de Liu criticaram Pequim por ter esperado que o seu estado de saúde piorasse para lhe permitir sair da prisão, mas as autoridades afirmam que ele é tratado por reputados oncologistas.

Condenado em 2009 a uma pena de 11 anos de cadeia por subversão, Liu Xiaobo, de 61 anos, foi colocado em liberdade condicional após lhe ter sido diagnosticado, em maio, um cancro no fígado em fase terminal.

O ativista, intelectual e dissidente foi detido por ter participado na redação de um manifesto conhecido por “Carta 08”, em que se exigiam reformas fundamentais no regime chinês.