As carruagens estavam completamente forradas por graffitis, havia casais encostados aos cantos a beijarem-se e sempre alguém com uma faca escondida pronto a matar. A vida “underground” do metro de Nova Iorque entre os anos setenta e noventa não foi fácil de suportar. Lá em baixo, a vida resumia-se a crime gratuito e a sexo explícito. Nem a polícia ou os “Guardian Angels”, um grupo de voluntários que prometia manter a paz no metro, chegavam para controlar tudo.

Na fotogaleria pode encontrar algumas fotografias de arquivo que ilustram o dia-a-dia tenso de Nova Iorque no metropolitano. Elas mostram as imagens captadas pelos jornais quando mais uma cena de crime chegava às carruagens, como a juventude vivia a liberdade dentro do metro e como a polícia tentava impor-se dentro dos comboios. Há 21 fotografias para ver.