O. J. Simpson vai ser ouvido esta quinta-feira, no Nevada, Estados Unidos da América, para tentar sair em liberdade condicional. O ex-jogador de futebol americano está preso desde 2008 por assalto à mão armada e rapto, num tentativa de roubar peças de desporto que o mesmo alegava serem suas e que estavam na posse de negociantes de peças desportivas, segundo a CNN.

A antiga estrela de futebol americano vai falar durante cerca de 30 a 45 minutos da prisão, via videoconferência, para quatro membros do Board of Parole Commissioners, responsáveis pela posterior deliberação. Em caso de resposta negativa, O. J. Simpson só vai poder voltar a solicitar audiência no final de 2018.

O nome O. J. Simpson não é desconhecido, nem mesmo para as gerações mais novas. Antes de ser condenado a 33 anos de prisão, em 2008, já era mundialmente conhecido pelos seus problemas com a justiça norte-americana. Em 1995 foi acusado de assassinar a ex-mulher, Nicole Brown e o seu alegado amante, Ronald Goldman. O. J. Simpson acabaria por ser absolvido e o julgamento, transmitido nos principais canais de televisão dos EUA, deu lugar, em 2016, a uma série de televisão intitulada ‘The People v. O.J. Simpson: American Crime Story’ que ganhou vários Globos de Ouro e Emmys.

À semelhança do apelidado “julgamento do século”, esta audição será transmitida nas televisões norte-americanas. Agora, com 70 anos de idade e com um histórico de bom comportamento na prisão, o ex-jogador da NFL enquadra-se nos critérios para pedir liberdade condicional, após cumprir o tempo mínimo de pena.

O. J. Simpson em 1990

Se a liberdade condicional for concedida, o ex-jogador de futebol pode ser libertado já em outubro, segundo David Smith, porta-voz do Nevada Board of Parole Commissioners. Tem sido descrito pelas autoridades, de acordo com a BBC, como um prisioneiro calmo. “Manteve-se fora dos problemas, nunca ouvimos falar muito dele”, disse Brooke Keast, porta-voz do Sistema Prisional do Nevada.

Quem me dera nunca ter ido aquele quarto. Tudo o que posso fazer desde que estou aqui [prisão] é ser o mais educado e correto possível”, disse O. J. Simpson, em 2013, ao confessar que se arrependia do que tinha feito em Las Vegas.