Tráfico Humano

Quatro pessoas encontradas vivas no camião estacionado no Texas com migrantes

O condutor do camião que foi encontrado num parque de estacionamento no Texas, nos Estados Unidos, com imigrantes ilegais foi acusado de tráfico de seres humanos e da morte de pelo menos 10 pessoas.

A temperatura no interior do camião terá atingido os 65 graus Celsius

DARREN ABATE/EPA

O presumível condutor do camião que foi encontrado num parque de estacionamento no Texas, nos Estados Unidos, com imigrantes ilegais foi acusado esta segunda-feira de tráfico de seres humanos e da morte de pelo menos 10 pessoas.

Quatro pessoas foram encontradas vivas no camião de carga. O diretor do Departamento dos Assuntos Migratórios do Estado mexicano de Aguascalientes, José Francisco Ortiz, disse que os quatro migrantes foram hospitalizados, mas não correm perigo de vida. A fonte adiantou que o Governo local está a procurar obter vistos humanitários para os familiares das vítimas poderem visitá-los aos Estados Unidos.

O condutor, identificado como James M. Bradley Jr, 60 anos, foi acusado ao abrigo de uma lei federal norte-americana relativa ao transporte ilegal de imigrantes com fins lucrativos. Esta lei prevê a aplicação da pena de morte ou da prisão perpétua caso o crime resulte em morte.

No domingo, 39 imigrantes ilegais foram encontrados no interior de um camião de carga sem ar condicionado que estava estacionado e exposto a altas temperaturas num parque de estacionamento de um supermercado de San Antonio, a duas horas da fronteira com o México.

Segundo o mais recente balanço do caso, fornecido esta segunda-feira pelas autoridades, o número de vítimas mortais aumentou para 10, com a morte de um homem que estava internado num hospital da cidade texana de San Antonio.

A par das vítimas mortais, que perderam a vida aparentemente por asfixia ou insolação, os restantes foram hospitalizados, dos quais vários estão em estado crítico. No interior do camião também estavam menores.

De acordo com os bombeiros locais, a temperatura no interior do camião terá atingido os 65 graus Celsius.

James Matthew Bradley Jr., oriundo do Estado da Florida, foi presente a um juiz federal para ouvir formalmente as acusações e vai permanecer detido.

Documentos do processo criminal federal, citados pela agência noticiosa norte-americana Associated Press, indicam que o condutor disse aos investigadores que não sabia que existiam pessoas no interior do camião. E que só se deu conta das pessoas quando estacionou e saiu do veículo pesado para urinar.

Os mesmos documentos indicam que James Matthew Bradley Jr disse aos investigadores que o camião tinha sido vendido e que estava a transportar o veículo do Estado do Iowa até Brownsville, no Texas. O motorista relatou que ouviu barulhos no interior do camião e que ficou surpreendido quando abriu as portas e foi derrubado por pessoas que falavam espanhol.

Os mesmos documentos revelam ainda que o condutor não fez qualquer chamada para os serviços de emergência, apesar de ter consciência de que várias pessoas estavam mortas.

O secretário da Segurança Interna dos Estados Unidos, John Kelly, disse que este caso revela a “brutalidade” dos traficantes de pessoas.

“Esta tragédia mostra bem a brutalidade do tráfico. Os traficantes não têm qualquer respeito pela vida humana e procuram unicamente o lucro financeiro”, acrescentou o representante.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)