Partidos e Movimentos

PPM quer que Assembleia da República elimine inconstitucionalidade de partidos regionais

118

O deputado único do PPM quer a eliminação da proibição de partidos regionais nos Açores. Paulo Estêvão diz que tal decisão é inconstitucional.

O deputado diz que a sua proposta "segue de perto a argumentação sustentada pelo atual Presidente da República sobre esta mesma matéria"

EDUARDO COSTA/LUSA

O deputado único do PPM quer que o parlamento dos Açores proponha à Assembleia da República a eliminação da proibição de partidos regionais, citando uma intervenção feita em 1996 pelo atual Presidente da República.

“Para a Representação Parlamentar do PPM no parlamento dos Açores, a presente iniciativa tem um objetivo estratégico de enorme alcance político, colocar a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores a discutir e a votar o fim da proibição de partidos regionais, apenas como recomendação à Assembleia da República, uma vez que as alterações constitucionais são da exclusiva competência deste último órgão de soberania”, afirma Paulo Estêvão, num documento enviado à Lusa.

Segundo o deputado, que entregou um projeto de resolução para no parlamento dos Açores, “decorridos que estão 41 anos de vigência da atual Constituição, o parlamento dos Açores nunca se pronunciou sobre esta questão”, considerando “as secções regionais dos partidos dominantes do sistema político regional evitaram, até agora, reivindicar de forma ativa o fim de uma proibição que tem potencial para colocar em causa o seu monopólio da representação política da população açoriana”.

“Tenha-se em conta que, de acordo com a Constituição e a lei eleitoral atual para a eleição dos deputados regionais, apenas os partidos políticos nacionais — as listas de independentes também estão proibidas – podem concorrer no âmbito das eleições para o Parlamento dos Açores”, refere, para acrescentar que “são muitas as regiões da Europa, dotadas de autonomia política, que possuem forças políticas de natureza e âmbito regional”, além de que a “enorme abstenção” sugere “a necessidade de abrir o sistema a outras formas de participação política”.

Para Paulo Estêvão, “se o parlamento dos Açores recomendar à Assembleia da República o fim da proibição dos partidos regionais, este órgão de soberania fica sem margem política para manter uma proibição que a generalidade dos constitucionalistas considera obsoleta”. O deputado acrescenta que a sua proposta “segue de perto a argumentação sustentada pelo atual Presidente da República sobre esta mesma matéria”.

A este propósito recorda a intervenção do professor Marcelo Rebelo de Sousa num colóquio organizado pela Faculdade de Direito da Universidade de Católica Portuguesa, em 1996, sobre a temática “A proibição de partidos regionais: norma atual, norma a eliminar ou norma caída em desuso”. Segundo Paulo Estêvão, Marcelo Rebelo de Sousa concluiu que “‘não se justifica a manutenção da proibição dos partidos regionais'”, tendo defendido a sua supressão.

Questionando o “sentido” que “tem a manutenção, num sistema político democrático, da proibição de partidos que tenham objetivos programáticos e uma designação de âmbito especificamente regional”, o deputado sustentou que “este facto constitui uma flagrante violação do direito de livre associação dos cidadãos, nomeadamente os reconhecidos na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia e na Convenção Europeia dos Direitos do Homem”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições

Contagem decrescente /premium

Manuel Villaverde Cabral

O grande problema do PS será prometer o fim da «geringonça» sem que as muletas do governo – o PCP, o BE e os seus eleitorados – lhe venham a negar uma maioria que o PS já só poderá fazer com Rui Rio. 

Mundial 2018

O dia em que o Panamá marcou um golo /premium

Bruno Vieira Amaral

É incrível como um jogo sem história – tal a diferença entre as duas equipas – acaba por ser histórico. Essa é uma das magias do Mundial, a dos pequenos prazeres estatísticos que proporciona.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)