Aspecto importante nas prestações de qualquer automóvel, o peso é algo com que os fabricantes invariavelmente se debatem, na construção de um novo modelo. Razão que levou a Hyundai a avançar, nos EUA, com um pedido de patente, destinado a registar uma nova técnica de fabrico com um polímero reforçado com fibra de carbono (CFRP), para aplicação na frente dos veículos. E que, defende a marca sul-coreana, pode ajudar a reduzir o peso, sem perder resistência.

Numa altura em que se lança na aventura de criar uma nova divisão de veículos de altas performances, um pouco à imagem da “M” da BMW, a que deu o nome de “N”, a Hyundai defende a utilização deste novo material na construção tanto de toda a zona que separa o compartimento do motor do habitáculo, como nos pilares. Componentes que têm sido até aqui fabricados em aço ou alumínio, para garantir a rigidez e a segurança do habitáculo.

Com a técnica que o construtor procura agora patentear, estes elementos passarão a ser produzidos em duas partes de CFRP entrançadas, de modo a assegurar uma maior rigidez estrutural. Sendo que, com o objectivo de tornar os componentes em CFRP ainda mais fortes, a Hyundai admite fabricá-los numa forma poligonal com um corte transversal, ao invés de numa simples forma rectangular.

No registo já entregue, a marca refere ainda a possibilidade de fabricar não apenas estes componentes estruturais do veículo em CFRP, mas também todo o revestimento da capota. Com os diferentes componentes a serem igualmente entrançados, mais uma vez visando o aumento da rigidez.

Refira-se que o entrançar de fibras de carbono permite aos fabricantes automóveis fundirem vários componentes, fabricados num material ultraleve, numa só peça. Levando a que seja possível produzir, inclusivamente, elementos à partida pouco usuais, como as jantes. Algo que a Porsche já anunciou, prometendo estrear esta nova solução no 911 Turbo S Exclusive Series.