O presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, fez esta quarta-feira uma declaração onde acusou o rei Filipe VI de ter dececionado “muitas pessoas ontem”. O presidente disse que “nunca” recebeu “uma resposta positiva do Estado” nem “alguma aceitação das mediações” que estão em jogo.

Quero garantir aos cidadãos que o meu governo não se desviará nem um milímetro do compromisso da paz, mas ao mesmo tempo de firmeza com a qual queremos fazer as coisas”, disse Puigdemont no discurso.

Puigdemont elogiou ainda o povo espanhol que “mostraram a sua solidariedade” e que estão “unidos”.

O presidente do governo da Catalunha referia-se ao discurso do rei na noite desta terça-feira em que falou da situação na Catalunha. Filipe VI considerou o referendo catalão “ilegal” e classificou a situação “de extrema gravidade”.

Rei de Espanha: referendo catalão é “inaceitável tentativa de apropriação das instituições”

Filipe acrescentou também que a ação da Generalitat tem sido de “uma deslealdade inadmissível ante os poderes do Estado” e que tem fraturado a sociedade catalã. “As autoridades desprezaram os afetos que unem o conjunto dos espanhóis e podem por em risco a estabilidade económica e social da Catalunha e de toda a Espanha.”