PSD

Santana despede-se da Santa Casa: “Outro ciclo se iniciará”

253

Pedro Santana Lopes enviou uma carta de despedida aos funcionários da Santa Casa da Misericórdia, que presidia desde 2011. Era o que faltava para, a partir daqui, oficializar a candidatura ao PSD.

Pedro Nunes/LUSA

Faltava “cumprir os deveres institucionais”, para anunciar a decisão de avançar com uma candidatura à liderança do PSD. E os deveres já terão sido cumpridos. Depois de, esta terça-feira, ter falado com o primeiro-ministro António Costa sobre a sua saída da Santa Casa da Misericórdia, Santana Lopes enviou esta noite uma pequena nota de despedida aos funcionários daquela instituição, avança o Diário de Notícias.

“Como já é do conhecimento público, avizinham-se mudanças na administração da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”, lê-se na carta, citada pelo DN, onde Santana Lopes destaca que “em breve um outro ciclo se iniciará”. Dizendo que conta com “o empenho e dedicação” de todos até a mudança ocorrer, “como tem acontecido até aqui”, o provedor procura descansar os colaboradores garantindo que a mudança não vai pôr “em causa a regular gestão e estabilidade do funcionamento” da instituição.

Feitas as despedidas, aquilo que ontem já era dado como certo no partido vai mesmo ser oficializado. Pedro Santana Lopes deverá defrontar Rui Rio na corrida à sucessão de Pedro Passos Coelho, na liderança do PSD. Falta só saber quando e e que moldes o anúncio vai ser feito. Rui Rio já tem encontro marcado com a comunicação social para quarta-feira às 18h30, em Aveiro, embora sem direito a perguntas.

Santana vai estar esta noite no habitual espaço de comentário que partilha com o socialista António Vitorino, na SIC Notícias. Resta saber se vai usar esse palco televisivo para fazer o anúncio oficial.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Fomos aldrabados

Fernando Leal da Costa

Finanças “sãs” não se podem construir à custa da perda do direito à proteção da saúde da população, mas o saldo deste governo são piores serviços, pior acesso, falta crónica de dinheiro e mais dívida.

Igreja Católica

A Europa e a Páscoa dos Cristãos no Mundo

Raquel Vaz-Pinto
209

Ao celebrar a Páscoa e a sua compaixão devíamos reflectir sobre os sacrifícios dos cristãos que vivem longe e fazer a pergunta difícil e dolorosa: conseguiríamos manter a Fé e de seguir o seu exemplo?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)