Um tecido semelhante à cartilagem a crescer em laboratório graças às células estaminais do osso. Foi com esta fotografia que Catarina Moura, mestre em bioengenharia pela Universidade do Porto e estudante-investigadora da Universidade de Southampton (Inglaterra), conquistou o nono lugar do concurso de macrofotografia da Nikon. É que a foto é mesmo peculiar: as fibras de colagénio que surgem a verde e os depósitos de gordura que aparecem a vermelho fazem a imagem parecer uma árvore de Natal.

Já lá vão 43 anos desde que a Nikon revolucionou o mundo dos concursos de fotografia: além das paisagens e retratos, o que nos aparece à frente quando decidimos ampliar o mundo microscópio? Desta vez, a edição de 2017 permitiu-nos ver como é um minúsculo embrião de morcego, como é o corpo de uma ténia ou o que se vê se pusermos a lente numa cartão de crédito partido. Os 20 vencedores foram escolhidos entre milhares de imagens em concurso: duas mil pessoas originárias de mais de 88 países encheram as secretárias da Nikon desde o ano passado até agora. Todas tinham, além de uma câmara fotografia com lentes poderosas, um microscópio por perto.

Se já tem ideias de como mostrar ao mundo aquilo que o olho humano não tem capacidade de ver sem ajuda de maquinaria, tem até abril do próximo ano para enviar as fotografias para a Nikon. Clique neste link para o fazer. Entretanto, inspire-se com as 20 fotografias vencedoras que estão na fotogaleria.