A Coreia do Norte reafirmou a sua intenção de bombardear os Estados Unidos com um míssil intercontinental de longo alcance. A confirmação veio de uma fonte norte-coreana que afirmou, esta segunda-feira, à CNN, que o país não quer saber de diplomacia até que atinja o seu objetivo.

A Coreia diz não descartar a via diplomática, mas primeiro quer “enviar uma mensagem clara de que a Coreia do Norte tem uma sólida capacidade defensiva e ofensiva para contra-atacar qualquer agressão por parte dos Estados Unidos“, disse a fonte.

O mesmo porta-voz revelou à CNN que a Coreia do Norte está prestes a conseguir concluir com sucesso um míssil balístico intercontinental de longo alcance que consiga reentrar na atmosfera terrestre sem se desfazer e, assim, atingir território norte-americano.

O Chefe de Gabinete da Casa Branca, John Kelly, admitiu, na semana passada, que os americanos deviam começar a preocupar-se com a ideia de que a Coreia do Norte pode ter recursos para atingir balisticamente o país. Kelly tinha ainda confessado que, caso a ameaça norte-coreana cresça, a esperança recairia na diplomacia.

No Twitter, Donald Trump já se tinha dirigido ao seu Secretário de Estado, Rex Tillerson, onde acreditava que este estava a perder o seu tempo ao tentar negociar com a Coreia do Norte pela via diplomática. Donald Trump chegou mesmo a ameaçar que “só uma coisa funcionará” com o regime norte-coreano.

“Mil milhões de dólares e nada”. Trump denuncia política de insucesso dos EUA com Coreia do Norte

Tillerson, por sua vez, reassumiu, no domingo, que é prioridade americana continuar a desenvolver esforços diplomáticos para travar a ameaça norte-coreana, tal como o seu arsenal militar.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR