As actuais propostas para carros voadores recorrem às mais avançadas tecnologias, com conjuntos de rotores eléctricos capazes de elevar dois adultos, deslocá-los através do ar a uma velocidade considerável, para depois pousar no local escolhido – no centro de uma cidade, por exemplo. E tudo isto sem recurso a um piloto, uma vez que usufruem de condução autónoma. Mas se este é o caminho a percorrer pelas empresas mais avançadas do sector, uns russos apostaram numa solução muito mais simples e próxima dos… Flintstones.

Muito “preocupados” com o ambiente e desejosos de, também eles, apresentarem a sua proposta para um carro voador, os russos da Garage 54, que habitualmente arejam os exemplos da sua criatividade no YouTube, deitaram mãos à obra. Começaram por arranjar um imenso balão de ar quente, a que juntaram – ou melhor, ataram – um cesto muito especial. Nada de recipientes em verga, para serem leves e capazes de absorver alguma energia durante o impacto, que tradicionalmente acontece durante a aterragem, mas sim um automóvel.

[jwplatform ATEScuxV]

O veículo escolhido foi não uma máquina possante e volumosa, pois a prioridade foi dada ao peso, mas sim um velhinho VAZ-1111, um excelente exemplar da indústria automóvel dos tempos da União Soviética, que nos seus tempos de juventude pesava apenas 635 kg, mas que agora, com a chapa já mais fina pelo ataque da ferrugem, deveria pesar bastante menos. Tanto mais que, se a oxidação entrou, saíram os bancos e todo o tipo de equipamento que, convenhamos, também não era muito.

Para encher o balão de ar quente com isso mesmo, ar quente, o VAZ foi equipado com dois queimadores no tejadilho – sim, porque a única coisa que faz subir o carro é o facto de o ar dentro do balão ser mais quente e, logo, menos denso e mais leve do que o que está à sua volta.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O voo inaugural correu perfeitamente e consistiu em levantar, pairar uns minutos sobre a cidade de Novosibirsk e depois aterrar.

O problema foi quando estes russos criativos decidiram publicar o vídeo com os seus feitos no YouTube. Segundo o Moscow News, o Ministério dos Transportes local não achou piada à brincadeira e aplicou-lhes uma multa “exemplar e extremamente dissuasora” – o equivalente a 98€.

Se percebe russo ou deseja ver o vídeo completo, que já conta com quase meio milhão de visualizações, clique aqui.