A noite de segunda-feira ficou marcada por vários protestos contra a gestão da Junta da Galiza durante os incêndios, que mataram quatro pessoas.

A convocatória foi feita ao longo do dia de ontem pelas redes sociais. Milhares de pessoas responderam ao apelo e concentraram-se em diversas cidades galegas e até Madrid e Barcelona, sob o mote “Lume, nunca mais”.

Nos vários protestos ouviram-se gritos de protesto como “Lume nunca mais”, “incompetência” e “Feijóo [presidente da Junta da Galiza], demissão”, bem como apitos, assobios, palmas. Havia ainda muitas pessoas de cartazes em punho, com o hastag #queimangaliza.

https://twitter.com/AlbaReigada/status/920209760208805888

Segundo o jornal espanhol 20 minutos, só em Vigo e em Ourense estiveram cerca de três mil pessoas em cada uma das cidades.

https://twitter.com/orionis__/status/919993114433122304

Em Santiago de Compostela, entre as mais de duas mil pessoas estavam o autarca de Santiago, Martiño Noriega, e líderes dos partidos da oposição.

O autarca de Nigrán (Pontevedra), onde também ocorreram protestos, afirmou que as pessoas “estão muito indignadas” depois de terem passado por uma situação de “muito medo”.