As autoridades da Califórnia atualizaram esta sexta-feira para 8.400 o número de casas destruídas pelos fogos da última semana naquele estado da costa Oeste dos Estados Unidos, que resultaram na morte de 42 pessoas.

À medida que as equipas no terreno continuam a avaliar os estragos, as autoridades reviram em alta o número de casos destruídas, das menos de 7.000 na quinta-feira para as 8.400 esta sexta-feira.

Um porta-voz do Departamento de Floresta e Proteção contra os Incêndios da Califórnia, Daniel Berlant, disse que as equipas estão prestes a terminar o trabalho de avaliação.

Estamos a regressar a áreas em que acesso às casas é difícil. É por isso que estes números estão a sair a conta-gotas”, disse Berlant.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Alguns residentes em localidades no Norte da Califórnia também começaram esta sexta-feira a voltar a suas casas, numa tentativa de perceber se alguma coisa tinha resistido aos fortes incêndios, noticiou a agência norte-americana Associated Press.

Os habitantes de três bairros da cidade de Santa Rosa, uma das mais afetadas pelos fogos, receberam esta sexta-feira autorização para regressar. Muitos foram obrigados a fugir durante a noite e alguns morreram sem conseguir escapar das chamas.

Os fogos que deflagraram a 08 de outubro, a norte de São Francisco, a zona vinícola da Califórnia, e noutras áreas resultaram na morte de 42 pessoas. Um fogo florestal no condado de Sonoma matou 22 pessoas, tornando-se no terceiro mais mortífero da história da Califórnia.

As estimativas preliminares indicam que os fogos também causaram estragos avaliados em mais de mil milhões de dólares, mas este número deverá ser revisto em alta.