A Altice vai avançar com uma queixa-crime contra o líder da Sonae por este ter dito que negócio da possível compra da TVI pode originar uma “Operação Marquês 10 vezes maior”, daqui a uns anos. A informação foi avançada pelo jornal Eco e foi confirmada por comunicado oficial da empresa.

“O Grupo Altice não aceitará que terceiros façam declarações ou insinuações difamatórias relativamente a si ou à sua relação com reguladores, independentemente da posição ou poder desses terceiros. Responsabilizaremos, como é nosso dever, quem fizer afirmações relativamente à Altice que possam, ilegitimamente, afetar os nossos negócios e a nossa reputação”, diz a Altice em comunicado.

Sem prejuízo de a substância das declarações vir a ser objeto dos procedimentos legais adequados, é claro que as declarações do Engenheiro Paulo Azevedo são o culminar de uma campanha pública orquestrada contra a MEO, incluindo pressões indevidas sobre os reguladores”.

A Altice acrescenta que “esta campanha apenas serve o interesse dos concorrentes da MEO, os quais têm vastos recursos financeiros e estão presentes num número significativo de setores económicos, procurando diminuir o procedimento regulatório em curso. É fundamental que tal campanha não impeça um procedimento regulatório justo e transparente”.