“Marcelo exorbitou, claramente, dos seus poderes constitucionais”, está a seguir uma “caminhada preocupante e perigosa” e as suas declarações recentes estão marcadas pela “demagogia” e pelo “populismo”. Estas são algumas das críticas ferozes dirigidas ao Presidente da República num artigo publicado na edição da Acção Socialista, o órgão oficial do PS, esta quarta-feira.

Sobre “o fracasso da moção de censura do CDS”, que serve de título ao artigo assinado por Simões Ilharco, o texto aborda também os acontecimentos que se seguiram aos incêndios que marcaram este verão, entre os quais o recente discurso de Marcelo Rebelo de Sousa. Um momento que o autor destaca por ter sido “a primeira vez que um Presidente da República reclamou publicamente a demissão de um ministro e a remodelação do Governo”, o que considera ir além dos seus poderes constitucionais. Nesse sentido, o autor considera que se está a caminhar para o presidencialismo que, “é bom ter presente, descamba, por vezes, em ditadura“, reforça.

Nem as declarações de Marcelo na última semana, durante as visitas pelas zonas atingidas – em que confessou sentir-se como se tivesse levado “uma sova monumental”, frase considerada “corriqueira” – são classificadas como sinais de “demagogia” e “populismo”. Como tal, Simões Ilharco apela a uma união da esquerda para impedir esta caminhada e travar a “tentação presidencialista de Marcelo que ameaça a democracia”.

Ainda sobre os resultados das Autárquicas no início de outubro, o autor garante que os fogos não tiveram impacto na escolha dos eleitores – diz mesmo que “Pedrógão Grande foi antes das Autárquicas e a vitória socialista seria esmagadora”. E defende que “é hoje uma realidade incontroversa e indesmentível que os portugueses vivem melhor”. Mais: “a Pátria está boa e recomenda-se!” A confiança socialista no Executivo liderado por António Costa é tal que o artigo cita uma sondagem da Aximage, que terá sido feita já depois dos incêndios, em que “aumentava a confiança em António Costa” no lugar de primeiro-ministro. “Ninguém o vai trocar por Rui Rio e, muito menos, por Santana Lopes!”, remata.

A edição do Acção Socialista (que é dirigido por Edite Estrela e existe apenas em versão digital) é quase toda ela dedicada esta semana ao tema dos incêndios, com artigos sobre estratégia, projetos, reconstrução e apoio a empresas, dá especial atenção ao que chamam “a nova visão” do Governo para o país.