Seleção Nacional

Jogos solidários da seleção portuguesa transmitidos nos três canais generalistas

Os jogos contra a Arábia Saudita e os EUA vão ser transmitidos na RTP1, na TVI e na SIC. A receita líquida dos dois jogos vai reverter na sua totalidade para as vítimas dos incêndios de outubro.

As duas partidas realizam-se em dois dos distritos mais afetados pelos incêndios, Viseu e Leiria

Miguel A. Lopes/LUSA

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou esta quinta-feira que os jogos solidários da seleção portuguesa de futebol serão, pela primeira vez em Portugal, transmitidos nos três canais de televisão generalistas.

Os jogos solidários da seleção das ‘quinas’ frente à Arábia Saudita e aos Estados Unidos, agendados para 10 e 14 de novembro, serão transmitidos em direto e em simultâneo, pela RTP1, SIC e TVI.

Os dois jogos realizam-se em dois dos distritos mais afetados pelos graves incêndios deste verão, Viseu e Leiria, porque o objetivo da FPF e dos canais de televisão envolvidos é auxiliar as famílias afetadas pela tragédia.

Para garantir a transmissão dos encontros, o horário das duas partidas foi alterado para as 20:45.

Para explicar a iniciativa conjunta, a FPF e os três canais generalistas promovem na sexta-feira uma conferência de imprensa a partir das 11:30, na Cidade do Futebol.

Entretanto, o presidente da FPF, Fernando Gomes, recordou que o organismo a que preside “tem um registo de proximidade com os portugueses e considerou esta iniciativa como mais um exemplo da forma como a FPF entende a responsabilidade social que uma instituição de utilidade pública tem”.

O preço único de cada bilhete é de 15 euros e a receita líquida dos jogos será utilizada no auxílio à reconstrução de casas de primeira habitação de famílias carenciadas dos vários concelhos afetados pelo fogo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Comentário Político

A indisposição conservadora

António Pedro Barreiro

O conservador não tem nada em comum com a Esquerda pós-moderna e libertária, rendida a uma “cultura de repúdio” por todas as instituições, práticas, arranjos e costumes herdados da experiência passada

Ucrânia

Mais umas eleições falsas em Donbas

Inna Ohnivets

A Rússia não quis a paz em 2014 e não quer em 2018. A realização destas eleições fraudulentas é um sinal claro de que a Rússia optou por prolongar o conflito durante mais anos sob o mesmo cenário. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)