Um alfinete de peito utilizado pela Princesa Michael de Kent no jantar anual de Natal da Rainha Isabel II está a causar polémica. O acessório, com o busto de uma mulher negra, que enfatiza a escravatura, foi considerado de índole racista.

O acessório teria passado despercebido, mas causou controvérsia devido ao facto de Meghan Markle, a noiva do Príncipe Harry, estar presente no jantar — o seu pai, Thomas Markle, é caucasiano e a mãe, Doria Radlan, é afro-americana.

“A Princesa Michael está muito triste e angustiada por ter causado qualquer ofensa”, disse um porta-voz. Apesar de muitos defenderem o alfinete como sendo uma peça extraordinária, a princesa pediu desculpas por tê-lo utilizado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As imagens provocaram também reações indignadas. Uma utilizadora do Twitter escreveu “Espero que a Rainha proíba essa mulher racista e horrível de participar nos próximos encontros”, outros disseram que Michael de Kent é um embaraço para a Família Real.

Normalmente, a Família Real utiliza joias com significados, mas a conotação costuma ser positiva e diplomática. Meghan Markle já falou muito sobre a situação de ter duas raças e o ano passado, quando a relação com o Príncipe Harry veio a público, este falou nos comentários racistas de que ela foi alvo.

Esta não é a primeira vez que a Princesa Michael de Kent é acusada de racismo. Em 2004, disse, num a um grupo de pessoas que estavam a jantar para “voltar para as colónias”, num restaurante em Nova Iorque.