Rússia

Rússia proíbe “A Morte de Estaline”, uma “desprezível” comédia

150

O filme "A Morte de Estaline" não vai passar em qualquer sala de cinema russa. O país proibiu a distribuição do filme depois de várias personalidades enviarem uma carta ao ministro da Cultura.

"A Morte de Estaline" retrata com humor os eventos que se seguiram à morte de Estaline

NICOLA DOVE

Primeiro, a estreia — em salas de cinema limitadas — foi adiada por colidir com as comemorações do aniversário do fim da batalha de Estalinegrado. Agora, a proibição final. “A Morte de Estaline”, um filme de humor negro de Armando Iannucci, não vai mesmo passar em qualquer sala de cinema da Rússia.

Uma ante-estreia para altas figuras das artes no país causou a suspensão da licença de distribuição do filme. O The Guardian conta que o ministro da Cultura russo recebeu uma carta assinada por 21 pessoas a pedir a proibição do filme e a insinuar que o mesmo quebrava várias leis do país.

O filme ridiculariza a história do nosso país e denigre a memória dos nossos cidadãos que conquistaram o fascismo”, podia ler-se na carta enviada a Vladimir Medinsky, de acordo com a agência Tass.

A diretora da Sociedade Histórica e Militar Russa disse à Reuters que “A Morte de Estaline” é “desprezível”, acrescentando que “é um mau filme, é um filme aborrecido e é vil, repugnante e nojento”. Já o Partido Comunista Russo, o segundo partido com mais assentos no parlamento russo, acusou o filme de ser “uma forma de pressão psicológica contra o país”.

Armando Iannucci, por seu lado, garante que “todos os russos que viram o filme até agora, incluindo a imprensa russa, disseram-me o quanto o apreciaram”. O realizador e argumentista – que é um dos criadores da aclamada série “Veep” – diz que ainda tem esperança de conseguir que o filme passe nos cinemas da Rússia.

“A Morte de Estaline” é uma comédia negra que gira à volta do pós-morte do histórico líder russo e venceu quatro prémios British Independent Film.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Europa

Falta de confiança  /premium

Manuel Villaverde Cabral

Por todo o lado são cada vez mais os eleitores que se abstêm ou que se viram para os «populistas» que tudo prometem e, até agora, não conseguem mais do que piorar as coisas, aumentando a instabilidade

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)