João Ribas é o novo diretor do Museu de Serralves, depois de o atual diretor-adjunto ter vencido um concurso internacional para encontrar o sucessor de Suzanne Cottler. A escolha foi anunciada esta manhã, em conferência de imprensa, pela administração da Fundação Serralves.

Ribas, uma escolha pessoal da diretora demissionária, vai assumir os destinos de um dos mais importantes espaços culturais do país num momento de relevo, uma vez que se assinalam no próximo ano duas décadas sobre a inauguração do museu. Em setembro, quando anunciava a saída de Cottler — convidada para dirigir o Musée d’Art Moderne Grand-Duc Jean (Mudam), no Luxemburgo –, a administração da fundação deixava também pistas para os momentos-chave dos próximos meses.

Com o aproximar das comemorações 30/20 em 2019 – 30 anos da Fundação de Serralves e 20 anos do Museu, abre-se um novo ciclo que terá como pontos altos o reforço da projeção nacional e internacional de Serralves, o projeto de instalação e dinamização da coleção Joan Miró e a abertura da Casa de Cinema Manoel de Oliveira”, acrescentou a fundação, que ressalvou que Cotter vai manter “uma ligação” à instituição nos primeiros meses do próximo ano para acompanhar a “implementação da programação do Museu”.

Quando recebeu Ribas em Serralves, Cottler falava num “curador distinguido internacionalmente pela originalidade das suas exposições e pelo seu profundo compromisso com os artistas e o pensamento”.