O Tribunal Arbitral do Desporto levantou a suspensão imposta aos atletas russos por suspeitas de doping cometido durante os Jogos Olímpicos de 2014 em Sóchi, está a noticiar a CNN. Vinte e oito atletas russos vão poder participar nos Jogos Olímpicos deste inverno na Coreia do Sul depois de o tribunal declarar que não encontrou provas suficientes de que a Rússia quebrou as regras de participação no maior evento desportivo do mundo. Esse levantamento também e válido para os atletas envolvidos na polémica, que vão poder competir em Pyeongchang a partir de 9 de fevereiro.

Ainda sobre as suspeitas de doping por parte das equipas desportivas dos Jogos Olímpicos, o Tribunal deu por provados 11 casos de violações, mas alegou que “a proibição vital” de participar no evento “não se justificava”. Os atletas envolvidos nesses casos não vão poder participar nos Jogos Olímpicos de 2018, mas poderão regressar à competição já a partir da próxima edição.

Entre os desportistas que vão poder regressar aos Jogos estão Alexander Legkov (esqui de fundo), Alexander Tretiakov (skeleton) e Elena Nikitina (skeleton), três dos melhores atletas do mundo na área dos desportos de inverno. Entre os 11 atletas proibidos de participar está Aleksandr Zubkov (bobsled), que nos últimos Jogos de inverno carregou a bandeira russa em Sóchi

O Comité Olímpico Internacional já reagiu à decisão do Tribunal dizendo que pode ter “um sério impacto na luta futura contra o doping”. A organização, que à semelhança do Tribunal é sediada Suíça, admite até recorrer da decisão no Supremo Tribunal Federal da Suíça, a mais alta instância da justiça do país.

Ainda na quarta-feira, o Presidente russo tinha pedido aos atletas que perdoassem o país por não os ter protegido dos efeitos do escândalo de doping e exigiu explicações às instâncias olímpicas pela exclusão da Rússia dos Jogos Olímpicos PyeongChang 2018. “É duas vezes mais difícil participar nos Jogos Olímpicos quando o desporto se mistura com eventos que são estranhos a ele, como a política ou outras coisas”, disse Vladimir Putin aos atletas russos considerados “limpos” e autorizados a competir nos Jogos Olímpicos de Inverno, sob bandeira neutra.