Startups

Portuguesa Feedzai entre as 50 fintech destacadas pela Forbes

146

Em 2016, entrou pela primeira vez para a lista das 50 empresas com maior potencial na Europa. Agora, é destacada pela Forbes como uma das 50 empresas de tecnologia financeira a manter debaixo de olho.

A Feedzai foi fundada em 2009 por  Paulo Marques, Nuno Sebastião e Pedro Bizarro

A Forbes destaca anualmente 50 empresas de tecnologia financeira com impacto no futuro de Wall Street e na área de big data. No ranking deste ano, divulgado esta terça-feira, das 50 companhias destacadas, 22 integram a lista pela primeira vez. Uma delas é portuguesa: a startup portuguesa Feedzai.

Com escritórios em Lisboa, Porto, Coimbra, Silicon Valley, Nova Iorque e Reino Unido, a startup portuguesa desenvolveu um software especialista no combate à fraude, através de uma plataforma de prevenção, que está baseada em machine learning e big data a fim de tornar o comércio mais seguro para clientes empresariais.

Avaliada em 575 milhões de dólares (cerca de 466,2 milhões de euros), a empresa fundada em 2009 por  Paulo Marques, Nuno Sebastião e Pedro Bizarro, teve 82 milhões de dólares (cerca de 66,4 milhões de euros) de financiamento, segundo o ranking da Forbes.

Esta não é a primeira vez que a Feedzai integra um ranking com estas características. Em 2016, a startup entrou, pela primeira vez, para a lista das 50 empresas com maior potencial na Europa, o Tech Tour, marcando a estreia de uma empresa portuguesa neste ranking. A startup voltou a integrar a lista no ano seguinte. Também em 2016, foi considerada o único “potencial unicórnio” (empresa avaliada em mais de mil milhões de dólares) português, à semelhança da portuguesa Farfetch.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Global Shapers

Carta aos pais de filhos na alta competição

Diogo Ganchinho
4.759

Não saber perder significa não aceitar a derrota com humildade. Existe algo na vitória que jamais se poderá perceber na derrota. Perder e aceitar isso, permite uma aprendizagem oculta nas vitórias.

Eutanásia

A democracia não é absoluta

Mário Pinto

Depois da enunciação da da dignidade da pessoa humana, a Constituição portuguesa faz a listagem enunciativa dos "Direitos, liberdades e garantias". E começa dizendo assim: "A vida humana é inviolável"

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)