A União Europeia (UE) vai contribuir com quase 10,2 milhões de euros para o programa de reinstalação de refugiados em Portugal, revelou esta segunda-feira fonte do Ministério da Administração Interna.

A contribuição da UE foi aprovada pela Comissão Europeia no passado dia 22, com o objetivo do “reforço financeiro do Programa Nacional do Fundo para o Asilo, Migração e Integração (FAMI), na sequência da disponibilidade manifestada por Portugal para receber mais 1.010 refugiados”.

O FAMI é “o instrumento financeiro que permite a implementação, a nível nacional, do Sistema Europeu Comum de Asilo e o desenvolvimento de estratégias de integração aos níveis local e regional”.

Portugal acolherá mais 1.010 refugiados no decorrer deste ano e do próximo, no âmbito do Programa de Reinstalação de Refugiados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Com este novo compromisso com a ACNUR, os 1.010 refugiados em Portugal juntar-se-ão aos 1.700 que já se encontram no país, estes últimos ao abrigo do Programa de Recolocação da União Europeia e no âmbito do acordo entre a UE e a Turquia.