Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O genro de Donald Trump perdeu o acesso a informação confidencial e documentos de Estado. Jared Kushner, que é casado com Ivanka Trump, soube na passada sexta-feira que já não pode consultar o boletim diário do Presidente e muitos outros memorandos que contêm detalhes mais secretos dos Estados Unidos.

Mas Kushner não está sozinho. Além do genro de Trump, que é conselheiro do Presidente, outros funcionários da Casa Branca perderam o acesso a informação confidencial. De acordo com o Politico, o marido de Ivanka Trump não tinha qualquer restrição na consulta de documentos secretos.

Ainda que não exista uma explicação oficial para o bloqueio a Jared Kushner, são muitas as suspeitas sobre o envolvimento do genro de Donald Trump com altas figuras de outros países. Esta terça-feira, o Washington Post citava fontes governamentais que indicavam que quatro países – Emirados Árabes Unidos, China, Israel e México – já discutiram formas de manipular Kushner devido às suas dívidas e à inexperiência que aparenta ter.

O acesso de Jared Kushner à informação confidencial tem estado no centro da controvérsia sobre uma alegada ingerência russa nas eleições presidenciais norte-americanas. Nos formulários que teve de preencher para aceder aos tais documentos secretos, o marido de Ivanka Trump recusou detalhar vários negócios e diversos encontros com membros de Governos estrangeiros. Entre as omissões está um encontro com Sergey Kislyak, o então embaixador russo nos Estados Unidos, e outro com o presidente do banco estatal da Rússia, que tinha sido sancionado pelos norte-americanos.

Ainda assim, e apesar do bloqueio a Jared Kushner, Donald Trump tem o poder unilateral de partilhar informação confidencial com quem quiser. Incluindo com o próprio genro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR