A série espanhola da Netflix que está a dar que falar correu (e corre) mundo. Até agora, apenas por bons motivos: um enredo especial, personagens carismáticas com nomes de cidades e o suspense sempre presente. Sim, estamos a falar de “A Casa de Papel”. A segunda temporada da criação de Álex Pina está, contudo, a ser alvo de críticas na Turquia depois de um trailer partilhado pela Netflix Turquia no Twitter oficial. O comentador televisivo Ömer Turan, da Akit TV, considera que a segunda temporada tem “mensagens subliminares para os opositores do presidente Erdogan”.

O comentador turco fez vários comentários no Twitter sobre o trailer da segunda temporada de “A Casa de Papel” — que pode ver abaixo. “No trailer, homens e mulheres com macacões vermelhos atravessam os sítios mais simbólicos em Istambul com a música “Bella Ciao” e dirigem-se para o seu ponto de encontro, Kadıköy”, escreve Turan no seu Twitter, acrescentando que “vocês podem achar normal que eles se encontrem em Kadıköy, o símbolo da oposição a Erdogan, mas eu não acho que seja normal”.

O comentador considera que a mensagem é dirigida aos partidos opositores ao AKP, partido islamista-conservador no poder na Turquia desde 2002. Como escreve o jornal El Español, as mensagens incitam a oposição, “especialmente os membros do FETO, (organização terrorista) a sair às ruas”. Turan diz que a mensagem pode mesmo conduzir a um golpe militar.

https://twitter.com/omerturantv/status/982717288049672192?ref_src=twsrc%5Etfw&ref_url=https%3A%2F%2Fahvalnews.com%2Fturkey%2Fpro-government-commentator-discovers-conspiracy-against-turkey-netflixs-trailer

Numa das partes do trailer pode ainda ler-se “Berlín é o nosso pai”, o que, para o turco Turan “não é [uma mensagem] subliminar, é uma mensagem clara e internacional”.

https://twitter.com/omerturantv/status/982542161592946691?ref_src=twsrc%5Etfw&ref_url=https%3A%2F%2Fahvalnews.com%2Fturkey%2Fpro-government-commentator-discovers-conspiracy-against-turkey-netflixs-trailer

Os utilizadores do Twitter e fãs da série tentaram mesmo explicar ao comentador que a série fala sobre um assalto à Casa da Moeada espanhola, na qual os assaltantes, que vão imprimir o seu próprio dinheiro — 2,4 mil milhões de euros –, têm nomes de cidades e Berlín, interpretado por Pedro Alonso, é um deles. Mas o comentador levou a “mensagem” para o campo económico e burocrático: “Os que seguem a série talvez tenham uma explicação. Mas, para mim, [a mensagem] tem a ver com a economia, a burocracia, o banco central e o aumento do dólar”, escreveu.

Ömer Turan vai mais longe e diz que mensagens subliminares estão presentes “do princípio ao fim” do trailer. Mas não é o único. Também Melih Gökçek, ex-prefeito de Ancara, assegura que o trailer está a incitar o assassinato de Ali Koç — um dos homens de negócios mais importantes da Turquia –, que surge destacado a subir as escadas rolantes.

A verdade é que com a nova lei da internet, aprovada no final de março, que permite a regulação do conteúdo online, este conteúdo pode ser eliminado. Se se chegar à conclusão de que “A Casa de Papel” está mesmo a enviar uma mensagem política, a Netflix pode ser forçada a eliminá-la na Turquia, ou arriscar-se a ser completamente bloqueada pelas autoridades — tal como aconteceu com a Wikipédia em 2017.