Açores

Açores. Hotel Monte Palace, encerrado há mais de 20 anos, reabre em 2021

4.570

Hotel Monte Palace, com vista para a lagoa das Sete Cidades, nos Açores, deverá abrir em 2021. Encerrado há 27 anos, deverá abrir como unidade hoteleira de cinco estrelas.

EDUARDO COSTA/LUSA

O hotel Monte Palace, nas Sete Cidades, Açores, que está encerrado há 27 anos, deverá abrir em 2021 como unidade hoteleira de cinco estrelas, mantendo a atual traça arquitetónica, anunciou esta segunda-feira o grupo chinês Level Constellation.

Numa nota enviada à agência Lusa, a Level Constellation adianta que “submeterá brevemente ao município de Ponta Delgada o projeto do edifício, que visa manter o perfil arquitetónico existente”. A promotora imobiliária refere que o presidente do grupo chinês, Wen Yong, está de visita aos Açores, tendo agendado para esta segunda-feira uma audiência com o vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, a quem “deverá anunciar a abertura do novo hotel em 2021”.

Segundo a mesma nota, o presidente da sociedade de capitais chineses Level Constellation “dará conta às autoridades das negociações em fase avançada com operadores hoteleiros de prestígio, prevendo-se a seleção da marca que deverá operar o hotel até junho de 2018”.

Assim, “a marca Monte Palace deverá cair”, acrescenta a nota, indicando que Wen Yong irá também reunir-se José Manuel Bolieiro, presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada. O hotel, localizado na Vista do Rei, Sete Cidades, nos Açores, propriedade do BANIF na sequência de uma penhora ao Grupo SIRAM, foi inaugurado em 1989 na ilha de São Miguel e empregava mais de cem pessoas, mas fechou pouco tempo depois por ausência de lucro.

O edifício de cinco pisos tinha dois restaurantes, três salas de conferência, uma discoteca, uma loja, 88 quartos, 52 suítes juniores, 27 quartos duplos, quatro quartos duplos com saleta, quatro suítes de luxo e uma suíte presidencial. Localizado junto ao miradouro da Vista do Rei, com vista sobre a Lagoa das Sete Cidades, o hotel teve até 2010 segurança em permanência, mas ficou posteriormente ao abandono, sendo vandalizado e saqueado. O Monte Palace, o primeiro de cinco estrelas dos Açores, chegou a vencer em 1990 o prémio de Melhor Hotel do Ano em Portugal.

No final de 2017, a Level Constellation adquiriu o antigo hotel Monte Palace, não tendo sido divulgado o montante da operação. A promotora imobiliária Level Constellation informa que a nova unidade hoteleira terá cinco estrelas e será “totalmente orientada para o meio natural em que se insere”, devendo “incorporar um centro de ciência, que se encontra a ser negociado com duas entidades de primeira linha no setor, bem como um SPA, um ‘rooftop’ e áreas de apoio a atividades na natureza, como ‘hiking’ e ‘birdwatching'”.

Aquando da compra do antigo hotel, a Level Constellation sublinhou que o investimento materializa a anunciada diversificação de investimentos em Portugal e a incursão da promotora imobiliária no turismo. O grupo destacou ainda que o edifício do Monte Palace “tem 14 mil metros quadrados de área de construção, incorporando a propriedade 50 hectares de vegetação natural, constituída, maioritariamente, por criptomérias, com vista deslumbrante para a Lagoa das Sete Cidades, o mais importante ex-libris dos Açores”, o que conferem ao conjunto “uma notoriedade internacional”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Programa de Estabilidade

O “truque”de Mário Centeno

Inês Domingos

O programa de Estabilidade, mais do que previsões, apresenta-nos unicórnios alados, que servem lindamente para contar histórias às crianças, mas não são uma forma credível de preparar o futuro do país

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)