O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, rejeitou hoje o título de “campeões no sofá”, reivindicando esse direito pela conquista de pontos em campo, na véspera de receber o Feirense, para a 33.ª jornada da I Liga de futebol.

O FC Porto pode assegurar a conquista do seu 28.º título de campeão nacional de futebol com um empate frente ao Feirense ou já hoje, sem jogar, caso Sporting e Benfica empatem.

Na antevisão ao jogo da penúltima jornada, Sérgio Conceição desvalorizou a possibilidade de o dérbi lisboeta decidir já o título e salientou que ninguém é campeão no sofá, valorizando, no entanto, o desempenho da equipa ‘azul e branca’ ao longo de toda a prova.

“Quero é ser campeão. Para mim, ninguém é campeão no sofá, somos campeões no sofá porque conseguimos no campo os pontos que nos permitem ser campeões”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No entanto, Sérgio Conceição identificou o cenário, que concretiza o objetivo do clube: “Se hoje acontecer um empate no dérbi sabemos que as outras equipas já não conseguem chegar ao primeiro lugar. Somos campeões. É isso que nós queremos e os adeptos também querem”.

O treinador rejeitou ainda ter como meta evitar que o Benfica conquistasse cinco campeonatos consecutivos, mantendo o FC Porto como único a alcançar este feito.

“Nós não trabalhamos pelos recordes, mas para conseguirmos os objetivos, que são todas as provas internas em que participamos e ir o mais longe possível na Liga dos Campeões. Foi isso que me foi proposto”, frisou.

Sérgio Conceição falou ainda sobre o mérito de ter recuperado alguns jogadores, como aqueles que regressaram após empréstimo, voltando a lembrar o facto de nada estar conquistado.

“Esse balanço não posso fazer neste momento. Estou completamente focado na equipa do Feirense. Isto ainda não acabou. Se vou começar a falar do mérito deste e daquele, estou a passar para um ponto pouco importante. Estamos extremamente focados no jogo de amanhã [domingo] e na vitória que queremos contra o Feirense”, referiu.

Ainda assim, o treinador dos ‘dragões’ falou da situação de Aboubakar e do facto de não ser opção para o ‘onze’ dos portistas.

“Tal como as equipas os jogadores têm ciclos que são menos positivos. O Aboubakar foi jogador extremamente importante durante a época, e ainda é. Numa altura em que o Marega e o Soares estavam lesionados e o Gonçalo [Paciência] ainda não estava, o Aboubakar andou meses a jogar sozinho, a suportar a equipa, era o único goleador e homem de área que tínhamos, e deu um contributo fantástico à equipa. Teve um momento menos bom e, neste momento, quem está a jogar está a jogar bem, é uma questão de merecer, e de opção. Quem merece joga e ponto”, frisou.

O líder FC Porto recebe no domingo o Feirense, 15.º com 30, no domingo, a partir das 20h15.