Já na condição de marido e mulher, Harry e Meghan, os duques de Sussex, saíram do Castelo de Windsor para rumar à recepção que os aguardava na Frogmore House, um palácio rural do século XVII não muito distante do ponto de onde partiram. À sua espera tinham um modelo que chegou a ser descrito, pelo italiano Enzo Ferrari, como “o veículo mais bonito do mundo”: o mítico E-Type. Mas não um E-Type qualquer!

Harry e Meghan tiveram o privilégio de circular na única recriação que a Jaguar Land Rover Classic fez de um histórico E-Type Roadster da série 1.5, de 1968, convertendo-o num eléctrico com 270 km de autonomia anunciada. Ora, como Frogmore House dista de Windsor à volta de uma milha (1,6 km), com certeza que o casal real não teve problemas com a sua “boleia”…

Capaz de ir de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos (cerca de um segundo mais rápido do que a versão original a gasolina), o E-Type Concept Zero – assim se denomina o protótipo com que a Jaguar quis prenunciar o seu futuro eléctrico – monta longitudinalmente um motor eléctrico com 299 cv, que surge no lugar onde antigamente estava a caixa manual de quatro velocidades. Imediatamente à frente está a bateria de 40 kWh, instalada onde até aqui esteve o motor XK 3.8 de seis cilindros, que animava o modelo original. Segundo a Jaguar, o E-Type eléctrico consegue assim manter a perfeita distribuição de peso pelos dois eixos, para lhe assegurar a mesma eficácia, sendo ainda 46 kg mais leve, apesar de ter de alojar a pesada bateria de iões de lítio.