Street Style

Do armário da avó à Feira da Ladra: o Super Bock Super Rock rendeu-se aos clássicos

Das peças de roupa que são joias de família aos achados da Feira da Ladra, o street style do último dia do Super Bock Super Rock ficou dominado pelos clássicos.

Reaproveitar, reciclar e renovar — verbos conjugados na perfeição por quem esteve no último dia de concertos no Parque das Nações. O cartaz, como já se previa, não marcou o estilo. O street style foi, na verdade, freestyle, salvo por quem soube recuperar peças de família e heranças de outras décadas e moldá-las ao seu próprio estilo. Vimos influências rockabilly, futuristas, da cultura pop ou simplesmente do festival do fim de semana anterior. A moda é muito isto: não inventar nada e reinventar com muito pouco.

Texto de Mauro Gonçalves, fotografia de André Dias Nobre.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Educação

Triturar crianças /premium

Maria João Marques

Não ficámos longe de um sistema de ensino que pretendesse escancarar a intimidade dos alunos, não lhes permitindo sequer um espaço mental que não fosse policiado e conhecido da coletividade.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)