Nações Unidas

António Guterres preocupado com relatos de violência pós-eleitoral no Zimbabué

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, mostrou-se preocupado com os relatos de violência em Harare, no Zimbabué, após as eleições presidenciais de segunda-feira.

YURI KOCHETKOV/EPA

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, mostrou-se eesta quinta-feira preocupado com os relatos de violência em Harare, no Zimbabué, após as eleições presidenciais de segunda-feira.

Segundo um comunicado do seu porta-voz, Farhan Haq, o secretário-geral das Nações Unidas lembrou os compromissos assumidos pelas partes interessadas no Compromisso de Paz e no Código de Conduta para assegurar um “processo eleitoral pacífico e ordeiro”.

António Guterres pediu aos líderes políticos e à população que rejeitem “qualquer forma de violência”, enquanto aguardam pelo anúncio dos resultados eleitorais. O secretário-geral das Nações Unidas apelou aos líderes políticos e aos concorrentes eleitorais para prosseguirem quaisquer disputas através de meios pacíficos, diálogo e de acordo com a lei.

Para António Guterres, as eleições marcam um passo em frente importante no desenvolvimento democrático do Zimbabué. “O secretário-geral observou o espírito pacífico e democrático, que foi elogiado pelos observadores nacionais e internacionais, durante o dia das eleições”, refere o comunicado do seu porta-voz, Farhan Haq. António Guterres apreciou o “compromisso do povo de Zimbabué” e o seu “renovado foco no desenvolvimento da nação”.

Na quarta-feira três pessoas morreram nas manifestações pós-eleitorais em Harare, capital do Zimbabué. A população de Zimbabué aguarda o anúncio dos resultados das eleições presidenciais, disputadas pelo presidente do Zimbabué, Emmerson Mnangagwa, e líder da oposição, Nelson Chamisa, e outros 21 candidatos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Espanha 2015

Nem tudo vale na política

Dantas Rodrigues

Oportunismos como o da candidatura de Manuel Valls em Barcelona é que degradam a imagem da política e alimentam a propagação de partidos populistas sejam eles de extrema-direita ou de extrema-esquerda

Igreja Católica

Tríptico europeu /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

A Europa do terceiro milénio, perdida a sua identidade cristã, que era a razão de ser da sua unidade e grandeza, é um continente à deriva.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)