O Governo moçambicano aprovou um fundo de 5,6 milhões de dólares (4,9 milhões de euros) para um programa de vigilância contra a lagarta do funil de milho, anunciou esta segunda-feira o jornal Notícias, o principal diário do país.

O ministro da Agricultura e Segurança Alimentar, Higino Marrule, citado pelo jornal, afirmou que a verba será destinada à pesquisa de novas variedades e técnicas de cultivo de milho. A iniciativa visa assegurar que os pequenos produtores aumentem a produção e produtividade de milho face à devastação provocada pela lagarta do funil de milho.

“As pragas limitam a renda e a segurança alimentar dos camponeses e limitam a capacidade de exportação dos excedentes agrários para os mercados internacionais”, declarou Higino Marrule.

Através do fundo, o Governo moçambicano pretende igualmente incentivar práticas alimentares seguras.

Dados oficiais indicam que a lagarta do funil de milho infestou cerca de 42 mil hectares em 2017. Entre 30% e 40% das culturas agrícolas do país perderam-se devido a pragas, desde abril de 2017.