“Só se lembra do caminho velho quem tem saudades da terra”, já cantava Zeca Afonso. É por caminhos velhos que descobrimos uma Figueira da Foz que, por vezes, fica esquecida. A bordo do SEAT Ateca que nos transporta confortavelmente por trilhos e estradas de terra batida, a viagem não só é desejada, como possível.

Gonçalo Cadilhe nasceu na Figueira da Foz há 50 anos e foi ali que, juntamente com o grupo de escuteiros a que pertencia explorou as grutas, falésias, bosques e cascatas da Serra da Boa Viagem. Do Miradouro da Bandeira é possível adivinhar esse ambiente de descobertas e a serra em toda a sua imensidão, que se estende até lá em baixo às ondas de um mar que se apresenta muitas vezes revolto. Para quem gosta deste tipo de aventura, saiba que, pelos trilhos no interior da serra, é possível confirmar a presença de ocupação pré-histórica, como é o caso dos Dólmenes das Carniçosas, monumento nacional desde 1910, ou a estação dos Pardinheiros, com vestígios da Idade do Ferro, da Época Romana e da Idade Média. A tração às quatro rodas permite-nos ver isto e muito mais mas, quando a exploração no terreno não é possível – ou queremos mais informação histórica –, rumamos ao Museu Municipal da Figueira da Foz onde podemos ver parte do material aqui encontrado.

O nosso dia

Mostrar Esconder

Miradouro da Bandeira

https://goo.gl/maps/PgSKmEuok1n

Dólmenes das Carniçosas

Fazem parte integrante de um conjunto de monumentos funerários que podemos encontrar nas serras das Alhadas, de Brenha e da Boa Viagem.
Contacto: Câmara Municipal da Figueira da Foz
Telefone: 233 403 300 / 233 403 310
Email: municipe@cm-figfoz.pt

Museu Municipal da Figueira da Foz
Rua Calouste Gulbenkian
3080-084 Figueira da Foz
Telefone: 233 402 840
Email: museu@cm-figfoz.pt
http://cm-figfoz.pt/index.php/onde-ir/museu

Cabo Mondego
Está classificado como Monumento Natural desde 2007. É considerado um dos testemunhos mais importantes para o estudo da história geológica de Portugal.

Praia de Buarcos
Bandeira azul 2015. Prática de bodyboard, windsurf, surf, futebol e voleibol de praia, pesca desportiva, passeios de bicicleta.

Praia de Quiaios
Bandeira azul 2015; qualidade ouro 2014. Prática de surf, bodyboard, pesca desportiva.

Bar de Praia D’Art
Avenida Manuel Bento,Murtinheira, Praia Quiaios, Figueira da Foz
Página de Facebook: https://www.facebook.com/Bart-650734268334475/

Castelo de Montemor-o-Velho
Classificado como Monumento Nacional em 1910.
Entrada gratuita e aberto todo o ano.
Verão: 10h00 – 20h00
Inverno: 10h00 – 17h30
Contacto: Turismo de Montemor-o-Velho
Telefone: 239 680 380

A caminho, ainda na rua do Parque Florestal, pode sempre parar no Miradouro da Montanha, um restaurante do qual – no percurso da nossa viagem – pudemos comprovar a simpatia e generosidade do serviço.

Num outro miradouro, o do Cabo Mondego, encontramos novamente o mar, “o da minha infância” como dirá Gonçalo enquanto nos apresenta aquela vista fantástica. Aqui, a água descobre – e outras vezes cobre – os carreiros de rochas onde os pescadores pescam de tudo, do polvo aos mexilhões.

No início era o surf

Adivinhamos já as praias onde o surf se pratica há várias décadas, trazido pelos estrangeiros que ensinavam alguns truques aos mais novos e iniciantes e, por vezes, algum material mais difícil de encontrar em Portugal nesses idos anos 70/80. Gonçalo começou por praticar na praia de Buarcos, mas há épocas do ano em que a praia de Quiaios apresenta melhores condições. Como assumido apaixonado pelo surf – e habituado a estas lides – sabe que, por vezes, é preciso colocar a prancha e todo o material necessário numa bagageira que se quer grande e andar pela costa e procurar as melhores ondas. Os 485 litros de capacidade da mala do SEAT Ateca, pretende ser um excelente auxiliar para este tipo de viagens.

Mas nem sempre em Quiaios, zona protegida, o mar permite mergulhos. Nessas alturas – ou quando se impõe uma pausa da areia, ou quando o pôr-do-sol merece atenção redobrada ou…quando se quiser – o bar de praia “B’art” merece uma visita. Afinal, em agosto do ano passado, foi considerado pela publicação britânica “The Guardian”, como um dos 10 melhores bares de praia em Portugal.

Só terminamos esta primeira aventura (de muitas), depois de espreitarmos as plantações de arroz de Montemor-o-Velho. O nosso experimentado guia promete-nos uma viagem ao outro lado do mundo e não nos desilude. Não fosse o altaneiro castelo e julgaríamos estar algures na Ásia, cuja planície coberta de frescas folhas verdes, reflete, conforme a hora do dia, os tons brilhantes ou dourados do sol.

É tempo de regressar a casa que, para Gonçalo Cadilhe, é na Figueira da Foz. Um lugar para onde, segundo confessa, mais do que um prazer, é um privilégio voltar.

Saiba mais em https://observador.pt/seccao/diarios-de-bordo/