A agência de ‘rating’ DBRS considerou esta terça-feira que os objetivos estratégicos do BCP são credíveis e que devem permitir que o banco continue a melhorar a qualidade dos seus ativos e a sua rentabilidade.

No recém-anunciado plano estratégico 2018-2021, o BCP procura melhorar a sua rentabilidade através do aumento do volume de crédito, ganhando novos clientes e, assim, a melhorar a quota de mercado.

O banco tem como objetivo uma rentabilidade dos capitais próprios (ROE) de cerca de 10% em 2021, primeiramente através de receitas crescentes e da redução do custo do risco. O BCP pretende ainda reduzir os seus créditos não performativos (NPL, na sigla em inglês) para cerca de 3,7 mil milhões de euros, o que a DBRS considera “ser alcançável” dada a redução já conseguida pelo grupo desde o final de 2014.

No entanto, a DBRS nota que o rácio de NPL do BCP vai continuar a ser superior ao da maioria dos bancos europeus no final de 2021. Por fim, o BCP procura fortalecer a sua posição na Polónia, na China e em África e desenvolver o negócio de banca privada na Suíça.