Web Summit

PSD não veta Le Pen mas sugere que PS e Bloco retirem apoio à Web Summit

954

O PSD não quer interferir nos convites da Web Summit, mas diz que se PS e BE estão incomodados com a presença da líder da Frente Nacional só têm um caminho na CML: "Retirar patrocínio à Web Summit".

SEBASTIEN NOGIER/EPA

O presidente da concelhia do PSD/Lisboa, Paulo Ribeiro, disse ao Observador que o partido não se pronuncia sobre a presença da líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, na Web Summit, uma vez que o encontro é um “evento privado, com organização privada” e, por isso, “é a organização que decide quem convida ou deixa de convidar”. Ainda assim, Paulo Ribeiro — líder da concelhia que coordena a ação política dos vereadores por Lisboa — acrescenta que “se a esquerda, o PS e o Bloco de Esquerda, que têm maioria na câmara, estão incomodados com a presença de Le Pen só têm uma opção: ou patrocinam a vinda e assumem isso ou retiram o patrocínio ao evento“.

O PCP, através do gabinete de imprensa dos vereadores na CML, afirma em declarações ao Observador que “só pode merecer condenação que a pretexto da Websummit  – uma cimeira que promovida a partir de uma dimensão tecnológica afinal expressa os interesses e objetivos do grande capital – se promova a  ideologia e figuras proeminentes da extrema-direita”. Para o PCP este “facto [é] tão mais inaceitável quando se está perante uma iniciativa realizada em Portugal com apoios públicos.”

O Bloco de Esquerda — que faz parte da maioria no executivo municipal — exigiu já esta terça-feira que o Governo e a Câmara Municipal de Lisboa tomem posição sobre o convite da Web Summit a Le Pen. A deputada e dirigente bloquista Isabel Pires considerou que “não é aceitável que dinheiros públicos possam ser utilizados para, na verdade, ajudar Marine Le Pen a ter mais uma plataforma para passar mensagens de xenofobia e de racismo, como é a sua linha política.” Apesar de reconhecer o direito da Web Summit a escolher de forma de independente os convidados, Isabel Pires exige um debate político que permita vedar a participação de Marine Le Pen.

Vários dirigentes do Bloco começaram desde logo a criticar a vinda de Marine Le Pen. O dirigente e antigo candidato à câmara de Loures, Fabian Figueiredo, acusou a Web Summit de estar “apostada em contribuir para a normalização da extrema-direita” e considerou o convite da organização “um insulto” aos portugueses.

Também o dirigente e deputado José Manuel Pureza criticou a escolha da Web Summit e aproveitou para mandar uma “bicada” a António Costa.

Mais longe foi o deputado socialista e ex-porta-voz do PS, João Galamba, que prometeu mesmo agir para impedir a presença de Marine Le Pen no Web Summit. “Não se juntam, não, que a gente não aceita. Normalização de fascistas já ultrapassa em muito o aceitável”, atirou o socialista.

A eurodeputada socialista Ana Gomes também já comentou esta terça-feira o assunto, dizendo que “não é tolerável”, acusando a Web Summit de estar “numa de normalizar o fascismo”.

Existe também já uma petição a correr para impedir a participação de Marine Le Pen Web Summit. A associação SOS Racismo emitiu um comunicado na segunda-feira a dizer, sobre a ida de Marine Le Pen ao evento, que “não se trata de escolher entre liberdade de expressão e censura, mas sim, entre a democracia e o ódio racial”. No mesmo comunicado a SOS Racismo “condena o convite a Marine Le Pen” e “exige a retirada do convite à líder da extrema-direita francesa e que todas entidades envolvidas na organização do WebSummit tomem publicamente posição”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: [email protected]
Web Summit

Quem convidou Marine Le Pen? /premium

Rui Ramos
201

Ao tentarem criar um tabu sobre as migrações, as elites europeias criaram Marine Le Pen, Gert Wilders e os outros. Talvez a voz deles não chegue ao céu, mas já quase chegou ao Web Summit.

Web Summit

O que separa a Web Summit do BE? /premium

Paulo Trigo Pereira
141

Liberalismo e qualidade da democracia é o que separa a Web Summit do Bloco de Esquerda. No BE uns não são democratas liberais, outros serão, mas acham que a democracia é vulnerável. 

Transportes Aéreos

O “Big Brother” do ar

Helder Cruz Pombo

A proposta de Lei n.º 137/XIII vem determinar a obrigação das transportadoras aéreas transmitirem ao Estado os dados relativos a cerca de 20 itens do registo pessoal dos seus passageiros.

Estados Unidos da América

O fim do trumpismo /premium

Paulo de Almeida Sande

Em Novembro não há apenas eleições para o Congresso dos EUA, está também em jogo o planeta, a escolha entre a cooperação frutífera e pacífica e um encarniçado nacionalismo, nativista e proteccionista.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)